terça-feira, 27 de setembro de 2016

Livre-se dos vilões da felicidade


Tenho refletido muito sobre os vilões da felicidade e ampliando minhas percepções acerca do quanto nos permitimos ser dominados ou influenciados por eles. Vejo pessoas dizerem que almejam prosperidade, relacionamentos saudáveis e duradouros, sucesso e tudo o mais. Entretanto, seus comportamentos interiores e emocionais refletem escolhas e padrões que literalmente as afastam dos caminhos da plenitude e realização.

É o caso do orgulho e da vaidade. A vaidade simula, o orgulho segura. Na vaidade forjamos um eu falso com o fim da aprovação alheia, ou nos comportamos de modo exibicionista, com o fim de que nos notem, nos considerem, nos validem. Algo que é nossa responsabilidade fazer, para conosco. E o orgulho nos veste de arrogância, tira a nossa humildade para aceitar o real, nosso e do mundo, protegendo-nos numa redoma de vidro emocional. Só para manter a pose. O orgulho nos protege da vida, das críticas, das opiniões. Até quando vamos nos permitir ser manipulados por esses inimigos da mente? Até quando vamos absorver o que não é nosso e nos comportar de uma maneira que reflete muito mais as expectativas alheias ou mesmo as nossas que erroneamente abraçamos, do que simplesmente sermos quem somos, em sincera humildade?

Felicidade, realização, sucesso, amor, tudo isso, está em ser você mesmo. E ser você mesmo implica em libertar-se para viver sem correntes emocionais e mentais, sem os “tem que”, “deveria” ou os excessos da auto preservação. Quem se protege de viver, restringe a natureza do Ser. Quem simula o que não é, nunca será verdadeiramente feliz, porque está ocupado demais em atender às demandas que não são as do seu caminho de felicidade.

Que o Amor nos cure!
Vinícius Francis 

Um comentário:

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.