quarta-feira, 13 de maio de 2015

Elohim - Quem somos? (Do livro "A arte de viver")


Sempre recebo e-mails de leitores que me pedem para explicar "quem são" ou "o que são" os Elohim. Confesso que nem depois de seis anos de trabalho consegui traduzi-los e compreendê-los segundo as fôrmas da minha consciência humana, até porque sempre os vi como energias maiores do que qualquer forma de compreensão deste mundo. E sempre os perguntei sobre isso e eles, sempre de maneira poética, traduziram a si próprios segundo a essência vibratória de muitas coisas que são boas, sublimes, de componentes que fazem parte do leque da nossa consciência terrestre. 

Acredito que é o mais perto que podem chegar para nos fazer entender quem eles são. Reforço que cheguei à conclusão de que não há esta fôrma na qual eu possa encaixá-los, não há nada que possa classificá-los no arranjo celeste (na nossa forma de entender isso). Eles são emanações do Criador, a expressão inefável de Deus, a inteligência e força criativa que modula a vida no Universo em suas infinitas formas. E abaixo, compartilho do capítulo 03 do primeiro livro deles "A arte de viver", onde justamente eles dissertam sobre quem são. Numa resposta divinamente satisfatória. 
E se você deseja saber mais sobre os livros deles, clique no 1 ou no 2

"Nós somos a inteligência que flui através de todas as coisas e em todos vocês. Somos a compreensão exata de todas as questões, somos as respostas às vossas dúvidas, ao mesmo tempo, somos a energia que vos move em vossos questionamentos, pois neles, há um lindíssimo convocar de energia.

Nós somos a verdade que pulsa no cosmos constantemente no objetivo de levar a luz, a lucidez e a sabedoria ao todo. Espalhamos do Amor de Deus por que de fato é isso que somos. Somos a força motriz da criação, somos a poderosa corrente criadora que transmuta todas as energias não físicas em matéria. Somos a solidez do mundo físico com suas particularidades e diversidade e, da mesma forma, somos a sutileza da natureza não física, que também se apresenta de infinitas formas e que em sua maioria não são estáveis ou constantes.

Somos a matemática da inteligência do Universo a operar em cálculo perfeito as equações da vida. Somos a sagacidade divina que grandiosamente elabora todas as formas e expressões vivas com competência desmedida e talento infinito. Somos o grito da paz que ecoa no caos do breu do Universo, que com o seu profundo e ininterrupto silêncio literalmente grita ao tudo: Está tudo Bem!

Estamos na paz que invade o coração dos seres quando estes se encontram calmos e equilibrados. Vibramos na energia quente que mantém vivas as estrelas, nebulosas e planetas, que move todas as coisas num sentido perfeito, exato e mutável apenas pelo poder da natureza que a tudo criou.

Somos a obra da expansão cósmica em seu apogeu de beleza e estonteante graça a preencher e perfumar o ar da existência com a sublime natureza de Deus. Somos o cair da noite que alivia a terra dos raios solares e confere a quietude, o brilho das estrelas e o frescor noturno. Somos o raiar do Sol, que com seu brilho e exuberância traz a vida através de seus raios dourados e colore os céus da Terra proporcionando alegria e recomeço à vida nela existente.

Habitamos no perdão que cura as mágoas e os ressentimentos, somos a amizade que cura a solidão e a carência de um ombro amigo. Pulsamos nos laços mais belos e resistentes que existem entre os seres, pois nesses laços se encontram as mais lindas verdades, as mais emocionantes poesias e as mais ricas expressões da alma.

Nossa natureza é como o diamante que brilha em incrível luz ao mesmo tempo em que oferece incrível dureza e resistência. Fazemos do fogo o melhor meio de nos transformar na perfeição e permissão constantes. Fazemos do calor o meio para destacar o valor, o brilho e a nitidez de quem somos, de nossa natureza. Agradamos os olhares, simbolizamos a abundância e emitimos a radiante glória da mais desejada das pedras de vosso planeta.

Somos a riqueza infinita da vida de Deus que exibe sua abundância em tudo o que existe. Estamos presentes também no contraste, pois é ele o agente que torna evidente e destacada a nossa igualdade em Deus e nossa Unicidade no Amor maior que a tudo abraça.

Alinhados estamos com a plenitude do Eu superior que vos confere a aliança com o Universo e todas as suas obras. Somos a essência de vossos sorrisos sinceros, de vossas lágrimas de emoção, dos estados de entusiasmo, êxtase, euforia, gratidão, apreciação e claro, amor.

Estamos presentes ativamente no momento em que oferecem ao semelhante o vosso carinho sincero, vosso abraço ou beijo. Estamos presentes quando vocês fazem o Bem, seja de que forma for, e da mesma maneira, estamos presentes quando vocês fazem o mal, porque ao fazerem o mal e desconectarem-se momentaneamente da grandeza do Bem que vocês são, fazemo-nos presentes no fluir do contraste da dor para lembrar-vos de que não é por aí que merecem ir, uma vez que todos nasceram para a excelência e para o poder.

Achamo-nos em todas as coisas boas a manifestarem-se desmedidamente pelo tudo. Agregamo-nos aos gestos de sinceridade, honestidade, pureza, inocência e integridade. Vibramos na vossa maturidade na vida e também estamos presentes na imaturidade natural, porque bem sabemos que no Universo não há erros, e sim, apenas tentativas pelos infinitos caminhos. E em cada frustração emocional nos fazemos presentes para revelar-lhes através do alívio, que há melhores rumos esperando por vocês e que não cessem de tentar seguir jamais.

Somos a capacidade incondicional de amar dos animais, porque não esperamos nada de vocês, não queremos que façam nada para nos agradar, tampouco que deixem de fazer alguma coisa para que nos arranquem a satisfação. Nós decidimos vos amar porque o amor nos faz Bem e nos beneficiamos constantemente por derramar o Amor eterno sobre cada um de vocês.

Vivemos na certeza que bate forte no peito do homem que tem fé. Somos a convicção que vos fortalece diante das dificuldades e a vossa coragem e ousadia no enfrentar dos medos e inseguranças. Expandimo-nos na força que convoca esta bravura e ao mesmo tempo apreciamos a sensatez dos vossos “medos” naturais e muitas vezes, corretos.

Não nos definimos numa forma, numa cor ou numa ideia, não tentamos fazer nada disso, pois o que “é” sobre tudo e “em” tudo não possui forma, nem cor, nem definição e nem nome. E enquanto permanecermos assim, vibrando no que é inominável e indefinível, seremos a expressão exata da grandeza e completude que Deus é, pois “somos” em Deus e nele vivemos e nos expressamos. Preferimos ser o nada porque no nada o tudo se torna real.

Somos o incompreensível, pois é nele que se manifestam todas as compreensões.
E terminando, do modo como sempre gostamos de falar, nós somos as emoções mais felizes, porque nada seria melhor do que isso em qualquer lugar onde habita a vida. Formidável e apreciável, não acham? Haja luz!"

ELOHIM através de Vinícius Francis 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.