segunda-feira, 29 de maio de 2017

Curso "Em sintonia com o Amor" - Aula 02 - Yin & Yang - Comportamentos e relações


Direitos Autorais: © Vinícius Francis, 2017
Não é permitido compartilhar este conteúdo em redes sociais, sites ou blogs. 
Caso queira divulgar este trabalho, compartilhe o link. 
Grato pela compreensão! :-) 

A construção de relacionamentos amorosos, assim como qualquer coisa na vida, exige compreensão, estudo, maturidade. E quando o assunto é o amor e suas ricas expressões também no âmbito afetivo do ser humano, a necessidade de irmos descascando o assunto é muitíssimo importante. Segundo a concepção de muitos, basta vibrar e visualizar um romance feliz pra tudo ir certo e acontecer como se deseja. Eu também pensava que era assim o funcionamento da Lei da Atração, das Leis Universais que reagem e se movem de acordo com a gente. Mas não é bem assim.

A mesma dinâmica que respeita a nossa postura e padrão vibratório quanto aos relacionamentos amorosos funciona para tudo. Quando comecei minha peregrinação pela Espiritualidade vista pelo ângulo libertador oferecido a partir do estudo das leis da vida eu imaginava que se sentasse pra mentalizar o que desejava, seria o suficiente. Eu não fazia ideia de que entre mim e meu desejo havia um “mundo” de crenças, pensamentos, emoções, conflitos, medos, posturas, sombras e muito mais.

O autoconhecimento é o caminho entre o emanar do desejo e sua manifestação. Sabemos que ao pensar e sentir, criamos. Mas, para manifestar isso é preciso que tudo em nós esteja em concordância (permissão) com o que fora criado, pelo menos 95% de nós precisa vibrar em algo semelhante. Do contrário, continuaremos somente esperando que as coisas aconteçam. Quando na verdade, esse tempo de "aguardo" é um convite da vida ao aprendizado, maturidade, lapidação interna e elevação da frequência.

E hoje, prosseguindo nesse descascar do assunto, vamos conversar um pouco sobre o Yin e o Yang e suas manifestações comportamentais no dia a dia. Entender isso aqui vai ser libertador pra você que deseja viver um romance legal. Compreender essa dinâmica dos dois assenta em nós positiva aceitação quando nos deparamos com tentativas amorosas que falham.

Bom, vimos que o Yang (energia masculina) é representado na criação e essência de Deus pelo PODER. E o Yin (parte feminina) seria o AMOR, certo? Apenas para reforçar, quando falo feminino e masculino não estou me referindo necessariamente ao gênero. Porque todos nós, indistintamente, possuímos a essência dos dois em nós. E isso se manifesta em uma série de comportamentos e habilidades.

E como normalmente não se tem os dois em equilíbrio, um deles tende a se destacar. E há dois casos críticos na equação do amor referentes ao Yin e Yang que podem ser uma pedrinha de tropeço para se atrair um relacionamento. Veremos ainda neste tópico.

Primeiro, Yang, Poder, força, o masculino – O Criador emana puro Amor, mas esse amor precisa de força pra se manifestar e se expandir, ok? Pra isso existe o Poder. E ele é muito necessário pra viver. Não se vive sem o poder. Na Terra vemos a situação de uma sociedade humana criada sob a negação de seu poder pessoal. Os resultados são desastrosos. O Amor sem o Poder seria como uma pessoa imensamente bem intencionada para ajudar os outros, mas sem um tostão no bolso. Ficou claro?

Então, o Poder move a criação, executa o que o Amor deseja. Na questão da relação e na personalidade ele se expressa em força, liderança. Pessoas com Yang mais forte tendem a ser líderes, às vezes mandonas e dominadoras se isso não for administrado pelo Amor e pela Sabedoria (essência presente em ambos, mas que também precisa ser trabalhada). 

Os “Yangs” tendem a tomar a frente em trabalhos e relações. Sentem-se mais na função de proteger do que serem protegidos, de guiar do que serem guiados, de conduzir do que serem conduzidos. No dia a dia são ousados, têm muita atitude e motivação pra conduzir projetos, executar coisas. São ótimos gestores e líderes profissionais.

Mas e na relação amorosa? Gostam de dar a última palavra, normalmente são eles que terminam as discussões. Quando não trabalham seus comportamentos tendem a ser extremamente ciumentos, autoritários, possessivos, tratam seu (a) companheiro (a) como propriedade sua. E em desequilíbrio gostam de tudo do jeito deles, são exigentes, acham que mandam na relação. São mais ativos, gostam mais de serem servidos do que de servir. No sexo geralmente são os que dominam a coisa, raramente gostam de ser dominados, porque se sentem líderes e donos da situação.

Em seu temperamento não aceitam a submissão, são livres e normalmente detestam se sentir presos a uma relação infeliz, não suportam isso. Não gostam de dar satisfação, mas geralmente gostam que deem satisfação pra ele. Entretanto, como líderes são ótimos, têm força pra se colocar em qualquer situação. São estrategistas e tratam a casa, a relação e o trabalho como seu território. São os alfas na relação. Gostam de cuidar, proteger, gostam de se sentir o porto seguro de seus pares românticos. Não que isso não se reverta em alguns momentos, porém, na maioria das vezes são eles os que gostam de abrir as asas sobre seus parceiros.

Possuem uma leve tendência ao narcisismo (quando possuem grande autoestima). Na conquista sentem-se pavões. Adoram se exibir pra chamar atenção, típico de machos na natureza, mas novamente reitero que isso não se aplica ao gênero de forma universal. Conheço mulheres Yangs, aliás, todas as minhas amigas têm o Yang mais sobresalente que o Yin. Porque na amizade, os Yangs se unem mais aos Yangs e os Yins aos Yins. Assim como conheço homens com Yin mais forte e que podem possuir o Yang muito mal trabalhado.

O Yang mal trabalhado compromete muita coisa. Sabe aquelas pessoas passivas, sem atitude e iniciativa, mórbidas e medrosas? Então, são os de Yang fraco. Só uma observação – Yang não é o oposto de Yin, não confunda. São duas partes de um todo.

Segundo, Yin, Amor (parte feminina) – É a energia primária, a intenção mais pura que criou o Universo. O Amor e o Poder se uniram e da explosão dessa união, criou-se tudo o que existe. A união dos dois cria a vida, macho e fêmea. O amor é a base, portanto, sem ele somos negativos, vulneráveis, frios, temos um campo magnético fraco e tendencioso ao medo. 

O Yin, sendo o Amor, é mais doador do que o Yang. É o que acontece quando a pessoa tem Yin fraco. Costuma ser fria, impaciente, estressada, carente de afeto ou mesmo resistente a ele. Tem dificuldade em se doar, tem medo de amar e ser amado. Não tem equilíbrio emocional, é extremamente impulsivo, teimoso, chato. A pessoa de Yin fraco se acha melhor que os outros, porque a crença na igualdade é fruto do Amor. Costuma pensar que não precisa de ninguém pra nada. Fechado, frígido, frio, carente de amor. Do seu próprio amor.

O Yang faz, força de ação. O amor, de emanação, ele sustenta o Yang. O Amor é o Seio acolhedor da relação amorosa, é aquele que ouve, que acalenta, que reconforta. Quando o Yang se desgasta, se cansa, se estressa, o Yin o abraça afetivamente. Como sua principal característica é o Amor, ele possui um perfil muito mais de doar do que receber. O Yin possui o temperamento mais brando, o que não representa em nenhum momento que é bobo, só é mais tranquilo que o Yang.

Costuma ser mais equilibrado, paciente, pacífico. Como é doador com muito mais intensidade, pode ser vampirizado, pois se não sabe medir seu doar, pode arrumar encrenca. Mas quando equilibra isso é compassivo, terno de forma comedida e justa. Envolve-se muito em causas de auxílio ao coletivo. Nas relações amorosas manifesta o desejo de se sentir seguro ao lado do Yang, porém, na retaguarda, ele é a força da relação, o sustento energético. 

O Amor é o alimento do Universo, por isso que o Yin forte tem muito amor pra dar e sua alegria está em doar esse amor. Obviamente, quando há reciprocidade. Mas a mecânica da relação funciona basicamente assim. O Yin doa muito mais. Pessoas com o Yin forte tendem a ser mais serenas e tranquilas, raramente são explosivas. 

Há casos em que os dois (Yin e Yang) são fracos na pessoa ou os dois são fortes. Mas, antes de falar sobre isso, vamos entender a mecânica de um relacionamento harmonioso. Como tudo é atraído por afinidade e compatibilidade, entendemos que a “diferença” acaba virando “semelhança”. Confuso? Eu explico:

Você não verá num átomo – Elétron, nêutron e elétron de novo, certo? Verá – Próton, elétron e nêutron. Dois bicudos não se beijam, já diz o ditado. Aí é onde entra a questão da diferença que vira semelhança. A mecânica do Universo vai sempre funcionar unindo Yin com Yang, porque essa é a essência primária da fonte. É onde o equilíbrio das partes se estabelece. Por isso, "tende" (não é uma regra inviolável) a dar mais certo uma relação onde uma pessoa com Yin mais forte que o Yang se une com outra de Yang mais forte que o Yin. Ambos se complementam. Complementar não é completar, ok? 

Porque os temperamentos precisam casar. Pode acontecer de duas pessoas de Yang mais forte se unirem? Claro que sim. Mas, normalmente, um terá que ser menos forte que o outro, do contrário, serão dois líderes, dois com tendência mais dominadora... Aí, danou-se! O Yin é o que cede mais, porém, “ceder” nunca, em momento nenhum aqui significa “submeter-se”, pelo amor de Deus! Submissão é coisa de gente sem posse, não tem nada a ver com o Yin. O amor cede, nunca se anula, ficou claro? Amor é energia doadora, se expande, nunca se retrai. 
Submeter-se é reprimir-se pelo outro. Isso é anti amor em qualquer nível e em qualquer relação.

Não há quem mande na relação, o Yang é apenas mais líder, mas numa relação equilibrada ele usa isso como força doadora e auxiliadora na construção de uma relação a dois onde ambos tenham plena voz e voto. Até porque liderança não é mandar, mas administrar e conduzir trabalhos onde todos participem e tenham os mesmos direitos. E no caso do Yin, a mesma coisa. Ele usa a sua natureza de se doar mais como meio de favorecer a relação e gerar harmonia ao invés de atrito.

A natureza organiza tudo para que se expanda harmonicamente. E o que acontece quando a pessoa tem o Yin e o Yang fracos? Ela tem problemas. Porque com os dois polos fracos ela fica carente, sem posse, sem autonomia, com baixa estima, sem ação na vida. E logo, suas relações são um verdadeiro fracasso, assim como a vida profissional. Esses são os que mais querem relacionamentos, porque como estão com energias baixas buscam freneticamente alguém pra tapar o buraco, por isso são vampiras, grudentas, apegadas.

Já quem tem os dois fortes, há dois caminhos aí. O primeiro – Fica restrito o número de semelhantes pra essa pessoa. Porque vamos concordar que estar em pleno equilíbrio com as suas partes Yin e Yang não é algo comum neste mundo atualmente, portanto, haverá menos opções de pares com a mesma harmonia. 

Perante isso a pessoa tem uma escolha – Esperar até que o semelhante surja, permanecendo só nesse tempo e estando bem com isso. Ou aceitar se envolver com alguém menos resolvido e inevitavelmente ter dor de cabeça algumas vezes. Pense num guepardo correndo com uma vaca? Pois então, é algo mais ou menos assim. O guepardo vai ter que frear de vez em quando e compreender que a vaca é mais lenta, se quiser correr ao lado dela. É uma situação chata a nível de energia e desenvolvimento na vida.

O segundo caminho – Pode acontecer do interesse por relações amorosas diminuir drasticamente. Visto que as mesmas existem (também) com a finalidade de gerar equilíbrio em ambas as partes. Numa relação se busca o equilíbrio do Yin com o Yang naquele esquema que a gente já comentou. Mas, se a pessoa tem os dois bem resolvidos dentro dela, como fica a necessidade de se envolver pra gerar esse equilíbrio? Ela desaparece. 

Por isso, à medida que o espírito evolui e equilibra as partes (Yin e Yang), ele tende a desejar menos por relações amorosas. Ele não perde libido (Isso é outra história), apenas não tem mais carência emocional e nem se sente incompleto. Muito menos necessitado de ter alguém que caminhe com ele pra dividir a vida e aquelas conversas todas que nós já conhecemos. Ele deseja, mas em paz. Sem ansiedade e sem fazer questão.

Esse é bem o meu caso. Minha vontade de namorar dura alguns poucos minutos. E vem como menstruação, de mês em mês e olhe lá! Porque o meu processo de iluminação me fez equilibrar o Yin e o Yang em mim. Então, já viu, né? A paciência aqui é pouca para a coisa. E o interesse também. Porque eu sei que pra que haja harmonia eu preciso atrair alguém igualmente resolvido, aí você já sabe o resto da conversa... Pessoas bem resolvidas e equilibradas são raras. E com o meu interesse pela Espiritualidade então... Só torna tudo ainda mais delicado (pra não dizer difícil).

Pessoas com os dois em harmonia acabam se bastando. Se elas precisam de força e liderança, têm isso bem forte. Se elas precisam de amor, acolhimento e amparo, elas têm também. Ou seja, a necessidade de “ter” alguém é bem menor. E quando desejam entrar numa relação é sempre para os dois virarem duas potências de crescimento em todos os sentidos. 

E quando duas pessoas equilibradas assim se juntam numa relação (mesmo amizade), ah meu filho, aí ganham o mundo! Porque ambas têm tudo em ordem, são igualmente fortes, completas, equilibradas. Se precisam ser mais Yin, são. Se precisam ser mais Yang, também podem ser. E duas forças equilibradas e fortes juntas fazem tudo dar certo. Porque a presença do equilíbrio e da harmonia significa zero conflito e problemas na relação. Resultado: Toda energia é empenhada no crescimento.

Aí prosperam que é uma beleza! Fazem, acontecem, somam, enriquecem juntas. Mas, pessoas assim são menos de um por cento da população mundial. São bem raras. Porque vivemos num mundo que nos ensina a ser metade e nos estimula sempre a ter alguém, a precisar de alguém pra ser feliz e pleno. É inflamada a necessidade de ter uma relação. Ou seja, não somos estimulados ao equilíbrio, mas sempre à carência. Por isso essa parte na vida das pessoas anda tão confusa e penosa, infelizmente.

Solução – Para se equilibrar o Yin e o Yang existem dois caminhos.
Primeiro – Caminho difícil, da dor e múltipla experiência – Namorar e se envolver milhões de vezes até que haja amadurecimento e equilíbrio pleno das partes.

Segundo – Caminho inteligente, da expansão – Evoluir, autoconhecer-se, espiritualizar-se, amadurecer, amar-se, dar-se tudo, completar-se em si mesmo. Relações amorosas não merecem ser uma eterna busca por nós mesmos, mas a expressão da completude que conquistamos conosco e troca de seus ricos benefícios e tesouros. 

Relação Yin & Yang na atração de relações amorosas:
YIN E YANG fracos  (grande parte da população) ------------------- Sofrem por dificuldade de exercer magnetismo afetivo. São carentes, apegadas, sem posse de si. Se atraem mutuamente.
YIN E YANG em desequilíbrio (um mais forte que o outro) - Maior parte da população -------------------------- Atraem semelhantes também em desequilíbrio, na busca pelo equilíbrio. Se relacionam com muita frequência e tendem a vivenciar uma série de conflitos na busca afetiva.
YIN E YANG fortes (menos de 1% da população) ----------------------- São plenos e completos em si. Possuem menos opções de pares semelhantes. Podem ficar solteiros por um bom tempo (ou a vida toda). Quando se envolvem numa relação com um semelhante desfrutam de uma parceria muito promissora. 

Exercícios:

1- Segundo o texto, qual é o caminho entre o emanar do desejo e  sua manifestação?

A- Autoconhecimento
B- Trabalho árduo
C- Cumprimento do Carma
D- Busca pelo merecimento
E- A Paciência

2- Qual o papel da energia do Yang na personalidade do indivíduo?

A- Deixar a pessoa com comportamento masculino
B- Dar a capacidade de amar e compreender o amor
C- Dar a capacidade de força, firmeza interior e liderança
D- Capacitação de redenção do orgulho nas relações
E- Realmente está difícil responder essa pergunta

3- As características comportamentais abaixo são pontos negativos de um Yang mal trabalhado, exceto:

A- Ciúme excessivo e autoritarismo
B- Dominação do outro e possessão
C- Acham que seu companheiro é sua propriedade
D- Excesso de submissão ao outro
E- Perda da firmeza e autoridade

4- Pessoas com a energia do Yin mais forte tendem a ser mais...

A- Pacientes e compassivas
B- Dominadoras e ciumentas
C- Frias e temperamentais
D- Posso pular essa questão?
E- Carentes de afeto alheio

5- Quando o Yin está fraco, na área afetiva, que tipo de dificuldade a pessoa pode manifestar?

A- De confiar na outra pessoa e em Deus
B- Dificuldade de se doar, pois tem medo de amar e ser amado
C- De tolerar os comportamentos imaturos do outro
D- A & B
E- De aceitar e reconhecer seus próprios limites, por isso sempre mete os pés pelas mãos

6- Pessoas com o Yang mais forte que o Yin são mais pré-dispostas vibratoriamente a atrair qual perfil de pessoa?

A- Yin e Yang fracos
B- Yin e Yang fortes
C- Yang mais forte que o Yin
D- Yin mais forte que o Yang
E- Yang forte e Yin ausente

7- Pessoas com o Yin e Yang fracos têm sérios problemas. Quais opções abaixo NÃO condizem com o que o texto nos diz a respeito?

A- São pessoas com tendência à pobreza e depressão
B- São carentes e sem posse de si
C- São um fracasso nas relações e na vida profissional
D- São indivíduos com baixa estima e sem atitude na vida
E- São pessoas que não compreendem a Espiritualidade e o autoconhecimento

8- Como equilibrar o Yin e o Yang sem a necessidade da constante interferência do aprendizado oriundo das relações amorosas?

A- Recorrer à magia branca
B- Acender uma vela, fazer simpatias e cruzar os dedos pra dar certo
C- Isso só ocorre quando o espírito ascensiona
D- Através do caminho do autoconhecimento, amor próprio e expansão da consciência
E- Eu realmente não faço ideia de como gerar esse equilíbrio, pois não entendi nada que o texto disse

9- O que pode acabar acontecendo com pessoas que tem Yin e Yang fortes?

A- Perder o interesse pela vida
B- A perda da libido e de apetite
C- Diminuição do interesse pelas relações amorosas
D- Manifestação de comportamentos sobrenaturais e sensação de desencaixe com este mundo
E- Falta de tesão por si mesmo e afastamento do caminho espiritual

O gabarito da aula 02 será dado no final na aula 03. 

Segue abaixo o gabarito da aula 01:
1-C / 2-D / 3-B


Que o Amor nos cure!
Vinícius Francis :-) 

Nossas páginas do Facebook:
Comunidade - AQUI
Grupo fechado - AQUI
Página pessoal (Vinícius Francis) - AQUI

3 comentários:

  1. Muito bom! Justamente hoje estava pensando sobre a questão de mentalizar para criar o relacionamento saudável de um lado, e a escassez de pessoas com afinidades de outro. Seu texto abordou e explicou exatamente isso, muito legal a sincronicidade! Gratidão!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso! Agora entendi o motivo pelo qual eu gostaria muito de ter um companheiro, mas ao mesmo tempo isso deixou de ser prioridade. É muito bom ter alguém para compartilhar bons momentos, mas muito melhor é se ter. Eu faço parte do 1% da população mundial.Obrigada Vinícius! Sou eu fã.

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso! É muito bom ter alguém para compartilhar bons momentos, mas muito melhor é se ter. Agora entendi porque relacionamentos deixaram de ser prioridade na minha vida: faço parte de 1% da população mundial. Obrigada Vinícius, super revelador. Achei que o problema estava comigo, mas na verdade, eu estou melhor do que nunca. Bjs da sua fã.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.