segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Construindo um novo Eu (Parte 01) - Quem é Deus?


Hoje vamos entender uma coisa que acredito ser primordial na construção de um novo Eu, já que esse é o assunto central de nosso estudo. Todos os textos que eu lançar nos próximos dias serão com o intuito de nos promover uma nova visão acerca de nós e da vida. E obviamente, falando de vida, vamos hoje, começar com a compreensão mais lúcida possível do que seria Deus. Alguns leitores já me pediram pra falar desse assunto.

A humanidade no decorrer dos milênios vem tentando de infinitas maneiras dar uma explicação de quem é Deus ou o que Ele é. Porém, todas as visões humanas partem de uma consciência fisicamente focada. Somos seres que experimentam uma vida na realidade física do universo. E logo, tudo o que pudermos conceber em nossa consciência acerca do que existe lá fora ou o além de nós vai passar por esse filtro humano, inevitavelmente.

Aqui, todos têm uma forma, normalmente um nome e uma identidade particular, individual. Damos nomes a todas as coisas, e tudo em nosso plano físico tem uma forma mais estável. Porque a energia nesta dimensão vibra numa frequência mais lenta, o que torna tudo com o que interagimos, estável, em forma. De proporções variáveis, mas geralmente seguindo um padrão tridimensional constante ou mais estável. Bom, esta é a forma como a vida se desenvolve aqui. Mas não quer dizer que “lá” siga o mesmo modelo de expressão e existência.

Se eu pedisse pra você desenhar uma árvore e fizesse o mesmo pedido a alguém que mora no Japão, por exemplo, o desenho, a forma da árvore, não seria tão diferente nas duas descrições. Porque em nosso plano físico as formas das coisas não variam muito, são mais estáveis por vibrarem em frequências mais lentas. Aqui, a aparência das coisas não muda muito. E por isso, ao vivermos neste tipo de realidade mais estável tendemos a compreender Deus da mesma maneira. É instintivo, eu diria.

No decorrer dos milênios demos algumas formas e nomes pra Ele, tentando lê-lo a partir da nossa noção de realidade. Mas, se quisermos realmente saber Quem é ou o Que é Deus, precisamos deixar de lado a nossa pequenez tridimensional e abraçar uma visão mais ampla e justa. Claro que nunca, nesta condição de realidade e consciência, chegaremos a uma conclusão absolutamente exata sobre Deus, mas através da espiritualidade e ciência (ortodoxa e quântica), podemos nos aproximar bastante de uma compreensão justa e mais lúcida.

Falando dentro do conceito cristão, Deus é entendido como um senhor sentado num trono, barba e cabelos brancos, cetro nas mãos e possui o nome em hebraico “יהוה”, que transliterado no latim seria mais ou menos YHWH, ao se adicionar vogais formaria YAHWEH, e mais tarde, Jeová, Javé ou Jah. Na Bíblia, este nome aparece umas sete mil vezes e nas traduções mais contemporâneas, o nome Jeová na maiorias das vezes é substituído por SENHOR, por acharem que este nome era santo demais para ser pronunciado ao acaso.

Há duas explicações para a descrição de Deus desta maneira, a primeira delas é que um ancião de barba branca era uma figura arquetípica de autoridade, sabedoria, longevidade, na antiguidade. Normalmente os antigos sacerdotes israelitas tinham essa aparência, logo, seria a forma mais “adequada” ao pensamento da época, cultura e consciência, para se dar a Deus.

Mas isso varia enormemente de cultura para cultura. E se pudéssemos pedir a um cão que descrevesse Deus à sua maneira, com certeza ele desenharia um cachorro, algo que fosse o mais parecido possível com ele. Porque nos foi dito que fomos feitos à imagem e semelhança "Dele". Contudo, esse "Ele" não era "Ele mesmo", eram "outros". Como assim? A outra explicação para esta imagem cristã de Deus seria a teoria dos antigos astronautas, que não é teoria, mas estou escrevendo assim como modo de sugerir e não de afirmar categoricamente, porque este texto é pra você pensar.

Esses antigos astronautas seriam extraterrestres que chegaram aqui quando a humanidade ainda não existia tal como a vemos. E através de sua interferência e cruzamento de seus genes com os hominídeos que aqui habitavam, criou-se a humanidade que hoje vemos, resumidamente. A descrição de Jeová conforme coloquei acima, é bem semelhante, por exemplo, à maneira como os sumérios pintaram seus deuses Anunnaki, em algumas imagens que você pode pesquisar na internet.

Alguns conceitos espiritualistas apontam a teoria de que Jeová seria um Anunnaki ou algum tipo de ser extraterrestre que participou do processo de criação da humanidade e mais tarde, tornou-se uma espécie de guia do povo Israelita. Bom, essas são algumas teorias, frutos de estudos e suposições. Ninguém tem absoluta certeza disso. Vou ser superficial porque o polêmico assunto Anunnaki é extenso por demais. E a criação da humanidade esconde muito mais segredos e conhecimento do que supomos ou compreendemos atualmente. E tudo isso é resumido no conto cristão, Adão e Eva, que seria uma simbologia do princípio da humanidade. Simbologia, eu disse.

Agora, falando dentro da Espiritualidade, Jeová é Deus, o Criador do Universo? Não, definitivamente. Numa visão mais ampla, Deus não tem um nome, nem uma forma única, nem está num lugar específico. Claro que você pode chamá-lo como quiser, enxergá-lo como quiser, mas Ele é mais do que um único Ser governando tudo. Deus é a consciência e inteligência que permeia todo o Universo, é o princípio de tudo, assim como a sua extensão ou seu fim. Alpha e Ômega, conforme a Bíblia afirma em Apocalipse.

Pra você entender isso direito, basta usar os recursos da ciência. Se você pegasse um microscópio de alta potência (um que ainda não temos) e visualizasse minuciosamente as partículas de um objeto e ir a fundo, bem a fundo, veria além das moléculas e ínfimas partículas, os átomos. E se fizéssemos o mesmo experimento em tudo o que existe no Universo físico veríamos a mesma coisa, átomos. Átomos são a base de tudo no Universo.

E Além deles, o que há? Indo mais a fundo veríamos somente um pulsar de energia quântica, além dos prótons, elétrons e nêutrons, veríamos apenas energia. Gente, estou resumindo, ok? Esse é o princípio de tudo, a base. Seja de um elefante, de um carro ou de uma estrela. Até o ar é feito de átomos, porque ele tem massa. E além dos átomos teríamos as partículas subatômicas, que são ainda menores que o átomo. Mas, o princípio de tudo isso é energia. Então, conclui-se que a base de tudo o que existe é a mesma coisa, energia.

Chegamos sempre a um mesmo fim. Então, fica fácil entender que o princípio de tudo é uma única energia, mas que vibra em frequências distintas e inúmeras, isso é o que gera a incrível diversidade da vida no Universo. Indo mais além, a base de tudo no universo é um oceano primórdio de energia e não um Ser específico. E de onde vem essa energia? Como ela surge? A física quântica responde essa pergunta, do Vácuo Quântico, que seria o termo que se refere a Deus.

Porque, se nos escritos bíblicos é dito que Ele é o princípio de tudo e criou tudo o que existe, então, Ele só pode ser a base de toda vida no universo que é o Vácuo Quântico. De onde emerge toda energia que se expressa infinitamente em incontáveis formas, frequências. Agora ficou mais "fácil" entender Deus, Ele é a base, a causa de tudo. Aquela energia do Big Bang que criou toda massa do Universo é uma consequência da expansão do que Ele é em alinhamento consigo mesmo.

Mas, afinal, onde Ele está? Com base nesse entendimento, a resposta é óbvia – Ele está em tudo, Ele é tudo o que existe. Ele é a base, assim como a sua extensão. Ele é o Big Bang, assim como é a ínfima partícula ou molécula que vaga no espaço do universo, porque tudo o que existe foi gerado a partir de Quem Ele é. Logo, tudo o que Ele cria, em última instância, é Ele, é uma interpretação Dele mesmo, uma extensão. Ele é a inteligência que forma tudo, que orienta tudo, que organiza tudo, que dá vida a tudo.

Ele não tem uma forma, tem todas, é todas. Ele não tem um nome, tem todos, porque todos são Ele, somos feitos Dele, projetados por Ele, mantidos por Ele. Somos individuações, centelhas, cada um é uma parte Dele mesmo experimentando a originalidade da criação Dele. Porque através de nós Ele se expande. Ele se experimenta em nós, nós somos parte da consciência Inconsciente Dele. Então, a resposta mais coerente para a pergunta – Quem é Deus, seria: Tudo o que existe ou resumidamente, o Todo.

E esse Todo não tem proporções exatas, porque ele se expande infinitamente. Sendo a energia que cria tudo, dele emerge energia sem parar. A base desse pulsar é Amor – Sabedoria – Poder. Amor porque dá vida eterna e ilimitada, se abre, abre, abre, expande sem parar e esse é o princípio do Amor na metafísica, algo que se abre, não restringe, não limita, não apega, não se fecha, só dá, concede, flui. 

Sabedoria porque tudo o que se cria é formatado por uma inteligência inexplicável, o universo é mantido por leis exatas, inteligentes, precisas, tudo está organizado de uma forma espetacular que vai além do nosso raciocínio. 

E Poder porque a energia que cria tudo é infinita, Deus não para de criar e de se expandir, não há limites para o Seu poder. Ao mesmo tempo em que cria sem parar universos e multiversos em incontáveis frequências e dimensões, Ele mantém tudo, gera energia suficiente para sustentar todo universo. Amor, sabedoria e poder infinitos. Bom, acho que deu pra ter uma ideia do que é Deus. Embora o texto tenha sido grande, tudo aqui foi bem resumido, porque se eu fosse descrever tudo nos mínimos detalhes do que se pode compreender Dele, escreveria um livro ou livros.

Vamos estudar mais sobre, entretanto, chegar a essa conclusão sobre o Criador não somente é libertador, como nos abre ainda mais à espiritualidade de uma maneira mais justa, coerente, lúcida, inteligente. Deus criou você para ser uma expressão eterna Dele mesmo, logo, você está ligado a Ele, ou seja, você pode tudo, assim como Ele. Nada é mais libertador e amoroso do que isso.


Crer é a chave!
  Vinícius Francis 

Para conhecer nossos cursos e trabalhos, clique AQUI. Detalhes do último trabalho lançado no blog, PROSPERE, clique AQUI.
Nossas páginas do facebook:
Comunidade - AQUI
Grupo fechado - AQUI
Página pessoal (Vinícius Francis) - AQUI

7 comentários:

  1. Vinicius, na base deste pulsar o Caos também pode estar representado? E em última instância, a função do Caos seria a também a criação do Amor, da Sabedoria e do Poder? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcos, foi bom você tocar nesse assunto, assim eu posso abordá-lo no próximo texto, pois o entendimento disso é importante para a compreensão de Deus e suas leis. Luz e Benção! :-)

      Excluir
    2. Obrigado, Vinicius! Deus é perfeito, logo todo o seu manifestar é sempre de uma forma positiva? Ou se utiliza da "negatividade" apenas como uma forma de atingir um objetivo final de Amor pleno? Esta seria a Expansão que os Elohins falam? Abraços! (Marcos Freitas)

      Excluir
    3. Oi Marcos, sim, toda emanação Dele é de Amor e bondade, toda outra emanação contrária aos princípios do Amor Dele, não procede Dele e sim, da resistência ao Amor. A negatividade é permitida até certo ponto por causa do livre arbítrio. Entretanto, ela é uma opção do ego dos seres que a praticam. Os Elohim gostam de chamar o "mal" de resistência ao Bem. Toda ação, interna ou externa, que resiste ao fluxo incorre em sofrimento. Logo, o mal em si não existe, ele é apenas uma resistência ao verdadeiro fluxo, o Bem. Porém, como no comentário anterior, o caos é um agente que mesmo provocado pelo mal (resistência), move tudo num sentido que sempre desaguará no Bem, porque de fato, o Bem é a única coisa que existe. O mal é uma ilusão, um efeito manifestado a partir da nossa resistência, em si mesmo, ele "É", pois não há uma fonte no Universo que o emana. Eu vou falar mais disso no próximo texto. Luz e Benção! :-)

      Excluir
    4. Muito esclarecedor!!! O medo e a insegurança nos faz criar resistências, pois o mover de Deus é sempre positivo. Qualquer outra criação resistente à este mover, Dele não procede! O seu jugo é suave. Então, fluamos em confiança! Grato, Vinicius!!! Forte Abraço!

      Excluir
  2. Olá Vinícius, obrigada por sintetizar de forma tão sábia e coerente esse assunto tão relevante para o desenvolvimento da consciência. Após discordar de muitos conceitos que me foram ensinados, comecei a contestar, pesquisar e viver situações diferentes, parei de pensar em Deus como ancião de barba branca e severo, e passei a acreditar em algo maior, como uma energia amoroso e criadora. E é mesmo libertador e amoroso saber disso. Você trouxe muitos elementos que complementaram os meus conhecimentos. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rosi, assim como você, também fui doutrinado com conceitos torpes acerca do Criador e essa nova visão espiritualista, definitivamente nos liberta de paradigmas infrutíferos e que não condizem com a verdade do Supremo Criador do Universo. Obrigado pelas palavras! Luz e Benção! :-)

      Excluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.