terça-feira, 20 de setembro de 2016

Sobre as resistências que carregamos


Uma reflexão.
Quem já não passou por um momento desgastante que atire a primeira pedra. Como seres humanos, passamos por inúmeros aprendizados e todos eles fazem parte do processo.
A verdade é que não podemos inibir ou encobrir nossas fraquezas. A depressão, a ansiedade e todos os sentimentos dolorosos se desencadeiam para que você possa colocar tudo o que sente pra fora.

É preciso que todo o entulho que você tem venha para a superfície. Para então, ser realmente curado. Seu corpo precisa ser restaurado. E para isso só existe uma solução - deixar de resistir.

A soma de tudo o que você carrega na vida um dia gritará em seu peito. E se você não se permitir cicatrizar as feridas, elas prosseguirão com você, mesmo que os dias passem. Não negue o que te machuca, o que te incomoda.

Você deve se permitir viver e sentir isso. Caso contrário, seus sentimentos se tornarão uma erva daninha e continuarão te afogando no pântano da ilusão. A ilusão de que está tudo bem. Aparentemente tudo bem. Isso é ocultar o fracasso. A insatisfação pessoal disfarçada de falsa felicidade acaba mascarando o sentimento real do que se passa em sua vida e está dentro de você.

É preciso encarar a realidade e se abrir para o novo sem medo.
E sem deixar de ouvir o que você sente. Pois carregamos informações em nossa alma e características que são únicas. Porque em seu coração não há nada mascarado. Você sabe o que sente seu coração.

Se você passa a vida inteira sem ouvir essas informações, deixa de viver aquilo que sua alma realmente anseia. E então, passa a viver uma vida triste e sem razão.
Viver de acordo com o que seu coração dita é tarefa para os corajosos. Para os que sabem o que querem. E sabem muito bem que não estão aqui neste mundo por brincadeira. Cada um de nós tem uma jornada belíssima.

Por quanto tempo mais você vai aceitar viver uma vida superficial, sem amor, sem verdade, sem razão? Apenas por capricho?
Viver o tempo todo criando uma barreira dentro de si mesmo e do mundo? Com medo de dizer: Sim, eu posso tentar! Eu posso ser feliz. Porque eu mereço.

Os triunfadores persistem. E levantam.
Porém, como você resiste e não se abre ao novo, parece que os tropeços se tornaram a sua lei.

A vida te ensina que você pode se abrir ao novo. E jamais inibir o que sente.
Aproveite as ferramentas que te capacitam pelo caminho e que estão disponíveis. Lembre-se: Há três tipos de pessoas... As que ficam na zona de conforto, protelando as coisas pelo caminho mais difícil. As que tentam e buscam, mas esquecem que tudo está dentro delas mesmas... E as que conseguem aproveitar e absorver cada joia espiritual pelo caminho. Tenho certeza que você quer aproveitar e absorver.

Então agradeça. Todos os dias. Todos os momentos. A cada vez que você agradece o Universo sorri e lhe retribui com generosidade. Abençoe a si e aos outros. Esteja presente aqui e agora. Ame a si mesmo, no entanto, lembre-se que amar a si mesmo não é ser egoísta. Amar a si mesmo é ter o suficiente para entregar aos outros. Amar a si mesmo é saber cuidar de si para saber servir aos outros. Quanto mais amor próprio você tem, mais amor será capaz de transbordar ao mundo. Amar é compartilhar. É dedicar-se de maneira desinteressada. E isto não é ser inferior. Isto é ser nobre. Nos encontramos quando sabemos valorizar tudo ao nosso redor.

Você não é incapaz. Você tem potencial e todos os recursos agora mesmo para fazer valer a vida que deseja. Chega um momento em que você começa a sentir e perceber todos os pesos que carregou ao longo da vida. E resolve deixá-los vir à superfície para que sejam curados. Só assim poderá experimentar a verdadeira liberdade.

Luz e Paz,
Letícia Caliel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.