sexta-feira, 3 de junho de 2016

Mirando em seu céu interno


É com alegria no coração que compartilho com vocês o primeiro texto de nossa nova colaboradora, Letícia Caliel, uma jovem comprometida com a luz e que escolheu atender ao chamado do seu espírito e servir ao Bem, compartilhando as palavras e ensinamentos que brotam do seu interior e fluem através de seu ser. Que esse seja um início de um caminho nobre, de muito crescimento e de uma missão belíssima para nossa irmã, e que sua contribuição feita em amor, possa abençoar e auxiliar a muitos, em sua caminhada da evolução espiritual e moral. 

Tive uma experiência muito singela, mas ao mesmo tempo muito marcante e que me ensinou tremendamente.

Numa dessas tardes frias, ou melhor, congelantes aqui do Sul, fui numa cidade próxima de onde moro para um compromisso. Andando na rua, em meio à rapidez e pressa frenética das pessoas, passei pela catedral da cidade. Logo vi um senhor de idade já bem avançada que me chamou a atenção. Esqueci de todos os compromissos que eu tinha e em alguns instantes prestei minha atenção nele.

Aquele senhor inundava uma fé tão grande que em metros de distância pude sentir e perceber o quanto sua aura estava ampliada. Fui atraída de certa forma a me aproximar dele.

Do lado de fora da catedral, havia um busto de Frei Bruno, muito venerado na região onde moro. E aquele senhor estava lá, em frente à imagem de Frei Bruno, fazendo suas preces e se conectando com muita fé.

Eu parei de andar e sem interrompê-lo, fiquei alguns minutos próxima dele. Era nítida a fé daquele senhor. A minha vontade era de dizer a ele que o que ele estava pedindo naquele dia seria alcançado. Mas me mantive em silêncio e em contemplação.  Era de arrepiar sentir o quanto ele estava em profunda paz. 

Ninguém mais estava ali, ao redor daquela imagem de Frei Bruno, a não ser eu e ele. Poucos se atrevem a entregar, confiar e utilizar os dons do espírito. Antes buscam meios externos que saciem a sede que só pode ser satisfeita quando olhamos primeiro para o espírito. Além do frio intenso, naquela tarde ventava muito.  E eu mal conseguia me conter parada por conta de tanto frio.

Mas nem o clima, nem as pessoas frenéticas na rua, nem mesmo a minha presença, dispersaram a fé que ele mantinha. Ele parecia não sofrer de frio, não sofrer de nada. Ele não fazia suas preces em desespero. Ele tinha uma feição de muita paz. Parecia estar absolutamente bem e revestido de confiança. Conectado com o alto. A fé o aquecia e o mantinha firme. Ela nutria a alma dele de forma abundante.

Naquele momento percebi o quanto minha fé era pequena perto da fé que aquele senhor inundava.
E olha que sou uma pessoa de muita fé...
E já alcancei muitas graças por confiar na provisão Divina.

Senti que as preces dele seriam ouvidas. Ele certamente alcançaria muitas graças. E aquela em especial, que ele estava pedindo. Eu sabia, no âmago do meu coração, que ele já sairia daquele lugar revestido de graça. Porque ele já estava em estado de graça. Mas não por estar próximo da catedral. E sim por alimentar a fé que estava dentro dele.

Não importa quão desmotivado ou desencorajado você esteja. O que realmente importa é confiar e entregar ao alto.
Não importa o quanto suas ações neste momento pareçam insignificantes. Para crescer como um ser humano integral, passamos por desafios. A vida nos desafia. Esta é a realidade. Sim, às vezes a vida nos faz ir além de nossos limites e forças.

Mas se você mantiver a chama da sua fé acesa, por menor que seja, ela será o suficiente para te guiar. Quando a fé é realmente ativada, a paz se faz presente em nossos corações. A caminhada se tornará mais leve porque o condutor desta jornada (você) , está com o maior poder que poderia carregar dentro de si mesmo, a fé.

É através deste poder, que os meios de acesso desse caminho se modificam. O pouco se torna grande. Não em quantidade, mas em qualidade.  E novas rotas se tornam possíveis. Mas você tem que acionar essa fé que te encoraja. Caso contrário, não estará usufruindo de um poder que se encontra dentro de cada um de nós. Um poder que não pode ser encontrado do lado de fora. Ele está dentro de cada um, para nos lembrar que TUDO o que necessitamos está em nosso interior. E não no lado de fora.

Alcance a sua fé, ou melhor, conecte-se com ela. Mire para o céu. O máximo que pode acontecer é receber uma chuva de bênçãos. Nada mal!
Agora, se você ficar sentado de braços cruzados, esperando alguma coisa acontecer, eu lamento. Mas nada irá cair do céu tão fácil. Esqueceu que o condutor do caminho é você?

Enquanto a pressa e a condição de viver no automático forem mais importantes do que a sua fé e o desejo de mudança, pouco se concretizará.

A fé, a certeza e a convicção devem estar em primeiro plano. Sem esta consciência carecemos de mudanças. Grave bem: Fé para seguir, ser guiado e manter os olhos voltados para o céu. Certeza para deixar a sua fé agir. E convicção para ter bem claro que tudo o que pedir, será realizado.

Sem esses simples, mas poderosos princípios, tendemos a nadar contra a corrente e desanimar no meio do percurso.
A fé existe para que seja integrada em seu ser. Conforme for sendo guiado por ela, então alcançará o céu.

O céu que também está não só lá em cima. Mas o céu que está dentro do seu ser. Ajuda do alto aliada com o seu poder interno. Essa é a chave. Só assim o seu sol interno desponta e brilha. Não importa a quantidade desta fé. E sim a qualidade e o tempo que você determina para que ela nutra a sua alma e os seus anseios.

Luz & Paz!
Letícia Caliel 

Um comentário:

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.