segunda-feira, 16 de maio de 2016

Escute o seu corpo - Texto sobre o conteúdo da segunda aula

Este é nosso texto sobre a segunda aula da Semana de Cura, "Escute seu corpo", que você pode assistir na íntegra, clicando AQUI.
Caso não tenha assistido à nossa primeira aula, não deixe de conferir pra que você esteja por dentro de tudo o que estamos conversando, basta clicar AQUI.

Você sabia que seu corpo fala? Sabia que é possível se comunicar com ele? Felizmente, temos em nós um conjunto de sensos com o qual podemos interagir e isso pode ser de uma ajuda inestimável em nosso caminho de cura interior.

A falta de comunicação com o nosso corpo ou aparelho emocional do ser pode resultar em grandes problemas. De fato, doenças são emoções não compreendidas. E o que não compreendemos não pode ser trabalhado, realizado, logo, não pode ser resolvido. Daí, temos doenças, problemas, infortúnios, desacertos na vida de todos os tipos, porque simplesmente, não sabemos ouvir nosso guia emocional, que é capaz de não somente nos dar respostas sobre tudo, como também nos orientar sobre qual o melhor caminho a seguir, segundo a essência que pulsa no profundo do nosso interior, que é parte do que chamamos de Deus.

Ao nosso conjunto de sensos podemos dar o nome de alma. Localizada na parte central do peito temos a glândula timo, que tem uma importante função dentro do assunto e uma ligação e interação muito forte com nossas emoções e sentimentos. que é onde atua mais fortemente a alma, que é um "órgão" astral, não está presente em nosso corpo físico. Por isso essa glândula é tão ligada à nossa alma. Às vezes chamada de glândula astral por causa disso. 

Abaixo temos a região do "bicho", parte de nosso conjunto de sensos, uma de suas atuações é no campo das emoções. E o melhor de conhecer tudo isso é saber que podemos conversar com esse aparelho emocional fantástico. Porque, infelizmente, ficamos muito na cabeça, na mente e embora ela seja uma ferramenta muito poderosa, guiar-se por ela pode ser perigoso. Eis a origem do “julgar”, que nada mais é do que “achar”, com base no que se nota no externo, no superficial.

E infelizmente a mente observa o que está fora, é onde ela mais está focada. Já nossas emoções estão profundamente ligadas com nosso campo magnético, então podemos através do que sentimos obter “n” informações, seja de uma pessoa ou de situações do cotidiano que a nossa mente simplesmente não consegue perceber.

Guiar-se pelas emoções é interagir com nossa parte profunda, com nossa essência. Deus não fala na mente, ele se comunica conosco através das sensações. Escute o seu corpo e o que ele tem a dizer, através do que você sente a essência divina se comunica com você. Porque muitas vezes achamos “x” acerca de uma situação, mas nosso corpo sente “y”. E infelizmente, como aprendemos a reprimir e ignorar o que sentimos e a não dar a devida importância a isso, tendemos a ir mais na onda da cabeça.

Eis aí a causa de muita desilusão, decepção e sofrimentos. Vivemos guiados pelo “acho que” ao invés de procurarmos no corpo as respostas e as escolhas com base em nossa essência mais profunda, que não mente pra nós, jamais. Pois a mente é parte de um astral coletivo, é um emaranhado coletivo de informações, já esse conjunto de sensos que nos confere sensações é só nosso. É parte de nosso Eu Superior individual, provém da centelha divina no ser.

Entretanto, quando o assunto é interação com nosso corpo, precisamos estar atentos a sempre prestar atenção no que sentimos e mais, é preciso cultivarmos a postura de encarar nossas emoções e sentimentos. Sejam eles quais forem, não devem ser ignorados, pois em nosso sentir encontramos respostas que tanto procuramos ignorantemente na mente. Converse com o que você sente, encare, sente-se consigo mesmo e interaja com o seu sentir. Isso te aproxima de quem você realmente é e mais, te confere as ferramentas para mudar sua vida e ter escolhas pautadas no que realmente sua alma almeja.

Lembre-se, o que conseguimos ouvir e trabalhar em nós não precisa se transformar numa experiência para que então, vejamos, muitas vezes, de formas bem desgostosas. Sem dúvida, estar em contato com nossos sentimentos, emoções, enfim, com nossa alma, nos fortalece e nos capacita a mudar de vida e reescrever nossa história, com base no que realmente carregamos em nosso interior e não com o que a mente “acha”.

Que o Amor nos cure!
Vinícius Francis 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.