sábado, 21 de maio de 2016

A Cura da depressão - Texto sobre o conteúdo da terceira aula


Nossa terceira aula da Semana da Cura foi sobre Depressão, que você pode assistir clicando AQUI. Uma doença que atinge cada vez mais pessoas neste mundo moderno requer a nossa atenção e cuidados, pois não somente o nosso lado emocional e sentimental fica comprometido pelos terríveis efeitos dessa doença, como nosso corpo físico fica vulnerável a contrair outras doenças.

Você deve conhecer alguém com depressão, possivelmente você também já tenha enfrentado essa doença ou mesmo enfrenta neste momento. Só quem de alguma forma lida ou precisou lidar com a depressão sabe o quanto é difícil conviver com ela. Entretanto, uma coisa precisa ser esclarecida a respeito, que é o seguinte: Existe uma diferença entre estado depressivo e depressão.

A gente sabe que “na praça” é bonito ter depressão no currículo, principalmente pra quem simpatiza com a vítima. Às vezes a pessoa enfrenta momentos em que se sente angustiada, insatisfeita, triste, passa horas deitada na cama, emburrada, descontente e chama isso de depressão. Só que não é. São estados depressivos. Que, claro, se não trabalhados, possivelmente desencadearão numa depressão, a doença.

A depressão é quando a pessoa entra num “estado depressivo” e não sai mais. A maior parte do tempo se encontra triste, desmotivada, insatisfeita, angustiada. Perde a vontade de viver, perde o sentido da vida. Na metafísica definimos depressão como a perda da alma. A alma, como vimos na aula 2, é o nosso aparelho sensorial, emocional, e quando entramos na depressão, reprimimos isso, empurramos pra baixo, fechamos a porta para o sentir pleno de nossa natureza. Daí, entra-se num profundo estado de tristeza, que nada mais é do que ausência da alma, que justamente, nos confere todo bem no sentir.

E há muitas pessoas que precisam se medicar, porque o funcionamento do organismo se compromete de tal maneira, que o paciente, para conseguir reagir, viver, se movimentar no meio social, precisa de remédio, geralmente ansiolíticos. Porque o corpo deixa de responder, os hormônios que produzem bem-estar não são mais fabricados como deveriam. O sistema nervoso desregula, tudo sai do prumo. Eu particularmente chamo a depressão de “morte em vida”. Se existe alguma morte de fato, é na depressão. Porque morte é perda da alma, não do corpo, isso é desencarne.

Mas, quando começa a depressão? Ou melhor, quais são as causas metafísicas dela? Eu poderia responder isso numa única frase: A Depressão é a doença da vítima. Sabe aquela pessoa que abraça a impotente, a incapaz, a pequena, a fraca, a coitada? Pois então, eis aí uma candidata forte a contrair essa doença. Porque a vítima impotente reage negativamente aos fatos que lhe acontecem na vida.

Ao invés de se impor, enfrentar, peitar os desafios da vida, ela recua, consciente ou inconscientemente. E claro, como sempre, são nossas crenças e ideias que determinarão nossas reações. A vítima reprime-se diante da vida e empurra suas forças pra baixo. Porque para bancar a vítima ela precisa boicotar sua própria força, lógico, não? E não somente a depressão se desenvolve com isso, mas a síndrome do pânico também. 

Com isso, a pessoa não somente empurra sua força pra baixo, como seu gosto pela vida, sua alegria, seu bem-estar, sua essência. Porque força vem da alma, então, se você nega-se a usar sua força e enfrentar as situações que NÃO SÃO COMO VOCÊ QUERIA, logo, não somente essa capacidade será reprimida, como todas as outras que fazem parte do conjunto de sensos que é a alma.

Todavia, há outras causas para a depressão, e eu poderia resumir nas três mais importantes: O vitimismo, a insatisfação e o medo. A vítima é a que abraça o impotente, coitado. O insatisfeito é o que não aceita a vida como foi ou como é. E o medroso é aquele que se recusa a se impor, se colocar na vida, bancar-se perante o mundo e muitas vezes, perante si mesmo. Na negação das forças há repressão da essência, logo, nos amarramos.

E neste mundo de sobrevivência é imprescindível que sejamos fortes. Só os fortes sobrevivem aqui. Sinto muito, a natureza não favorece os bonzinhos, favorece os fortes. Quer tirar a prova? Observe a natureza, observe em volta de você e verá exatamente isso acontecendo. E há muitos que falam por aí que depressivos são pessoas que nasceram com carência hormonal e deficiência neurológica determinadas por fatores genéticos, ou seja, querem justificar a depressão dizendo que ela é algo genético, que o indivíduo já nasce com a tendência à depressão. Ok, pode até ser que isso pese no diagnóstico, entretanto, o espírito pode tudo. E na consciência de que somos mais do que um corpo com sua natural bioquímica podemos tomar posse da cura de qualquer doença, dentre elas, a depressão.

E qual é a cura? Primeiro passo: Assumir responsabilidade por si e pelo que sente. Você é responsável por suas reações. Talvez você não controle o que vai enfrentar na vida, mas controla a forma como vai se posicionar perante o que te acontece. Tome posse, é você quem escolhe suas reações e suas ações também.

Segundo passo: Assuma-se, tome posse de sua alma. Aceite-se como é, escolha bancar-se, assuma o que você é e aquilo que faz sentido pra você. Não lute contra sua alma por convenções sociais, não lute contra sua natureza para agradar o mundo, aceite-se, ame-se, ponha-se para fora dessa caverna escura na qual você se colocou dentro de si. A cura da depressão é a liberdade da alma.

Se você se deixar existir e sentir a vida da maneira que ela pulsa em você, o seu bem-estar emergirá e te dará alegria e contentamento, porque tudo isso brota do seu ser, não vem do mundo.

Terceiro passo: Fortaleça-se, motive-se, encoraje-se. Não se acovarde diante da vida, ela não é sua inimiga, é sua parceira. E tudo o que te aconteceu ou te acontece é apenas para te tornar mais forte. Então, use isso como ponte, trampolim para crescer e extrair de si mesmo os atributos necessários para ser alguém de sucesso. Forte, consigo, em si e para si mesmo. Apoiar-se é validar-se, é dar importância para si e para as coisas que fazem sentido pra você.

Seguindo esses três passos com disciplina você vai reverter a depressão. E caso você faça acompanhamento médico com remédios, não suspenda-os sem orientação do profissional. Antes, siga os passos que te passei e naturalmente seu corpo reagirá a fim de que tão logo, os medicamentos não sejam mais necessários, porque você estará íntegro, de posse, aí, para te conduzir pela vida de maneira positiva.
E na Terça-feira, dia 24, teremos a nossa última aula da Semana da Cura, com o tema "Uma vida curada". Continuem acompanhando! 

Que o Amor nos cure!
Vinícius Francis

Acesse as duas primeiras aulas, pelos vídeos abaixo:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.