terça-feira, 4 de agosto de 2015

Apoie-se


Quanto mais descobrimos deste Universo de autoconhecimento e espiritualidade, mais compreendemos a grandeza do que somos e a incrível assertividade das leis cósmicas que regem a vida. E conhecer tudo isso é, sem dúvida, a chave para uma vida diferente. Vivemos um avanço na tecnologia por conta disso que estou citando aqui, o homem só tem tido êxito na tecnologia porque constrói seus projetos com base nas leis da física. E daí, temos todas essas maravilhas do mundo moderno.

Da mesma forma é com a nossa vida, sem entendermos as leis que regem os acontecimentos, sem sabermos como agir para alterar circunstâncias, como sairemos do lugar? Como mudaremos nossa vida? Meio difícil, né? Daí a necessidade de buscarmos o conhecimento, algo indispensável. É a única solução, o único remédio contra infelicidade e infortúnios se chama conhecimento.

E dentro disso eu quero falar sobre um assunto que é muito importante para que tenhamos bons resultados, o “apoiar-se”. É, parece um negócio simples, mas basta levarmos pro dia a dia, na prática, que percebemos a complexidade, mas não da coisa, e sim, nossa. Sim, a complexidade é toda nossa. Trabalhar na gente é um negócio delicado. 

Nunca disse que seria fácil. Se fosse tão facinho assim todo mundo já teria feito.
Porque temos o ego, esse camarada que, embora seja um personagem indispensável para vivermos aqui na Terra, pode nos sabotar terrivelmente. Claro que, o nosso discurso sempre é muito bom, a gente adora falar que é positivo, que se apoia e que é uma pessoa motivada. Hum! Vamos dar uma olhada nos frutos? Que tal? Porque é aí que a verdade aparece nua e crua.

Na frente dos outros às vezes a gente faz uma boa propaganda de nós, claro, porque você sabe que o ego não pode fazer feio, ele sempre tem que ficar por cima. Porém, descobrimos se realmente somos bons conosco quando estamos sós, lidando com os assuntos de nossa vida, da nossa realidade, enfrentando os monstrinhos internos. 

A verdade é que sonhamos muito, almejamos demais, contudo, pouca força nos damos para que todos esses anseios se manifestem. Daí o insucesso, a não realização e a vida chata.

E falando do “não apoiar-se” temos seus parceiros vilões, que nos passam a perna, a preguiça (má vontade), a culpa e o vitimismo. Se perguntar: Quem quer ganhar muito dinheiro e ficar rico? Todo mundo levanta a mão e grita. 
Agora, se a pergunta for: Quem quer trabalhar muito, superar desafios, arriscar, lidar com o mercado e atender a sua demanda (dentro de cada área profissional de atuação), se profissionalizar, resumindo, sair da zona de conforto e realmente fazer alguma coisa pra ficar rico? E o silêncio rompe!

Quase ninguém está disposto, porque lidar com a preguiça e má vontade é inevitavelmente ter que enfrentar os outros dois, a culpa e o vitimismo. O ego não gosta de erro, porque o orgulho, que é filho primogênito dele, detesta ter a imagem de “gostosão” sendo ameaçada. Mas pra fazer sucesso e prosperar é preciso tirar o orgulho de cena. Só vence quem é humilde, quem tem disposição pra ser o real, sem tanta pretensão, sem aquela vaidade ridícula de querer ser o bonzão (rimou). Se errar, tudo bem, tentou pelo menos! Se fizer feio, ok! Faz parte vacilar, pra, de repente, acertar o prumo do excelente. Mas fazemos isso? Vamos ser sinceros, não fazemos!

A gente não gosta de admitir que está errado, não gosta de ser flexível e dançar conforme a música, pelo contrário! Nosso ego quer que Deus toque a nossa canção, do nosso jeito, na nossa hora, com a harmonia que julgamos ser a melhor. Mas a realidade não é assim, a vida vai exigir de você, de mim e de todos nós, o progresso. Ela exige movimento e usa as situações para nos estimular a crescer e fazer algo por nós. Ué, tem que ser! Porque se levando estímulo (porrada) o indivíduo já é mole, imagina se parar!?

E quando não é na culpa, que nos segura em erros que segundo o ego não deveriam ter acontecido, é no vitimismo que nos pomos, na ideia de impotência. Aqueles papos de “pra mim nunca funciona, “a minha vida foi difícil, eu nunca tive a chance de crescer”, “Ah, eu não sou tão bom assim” , "Eu sou uma pessoa de azar, Deus se esqueceu de mim" e por aí vai. Tudo ideia de gente sem posse que gosta de se diminuir pra ver se lá embaixo, no fundo do poço, com cara de cão abandonado, consegue comover Deus. Gente ardilosa, viu? Não quer fazer força pra prosperar, mas faz força pra montar o personagem do coitado. Manipulador de si mesmo. Ou seja, não se apoia.

Aquele que se apoia reconhece seus limites, sua força, seus dons, sua capacidade. Sabe do seu valor, sabe do seu potencial e sabe que precisa construir seu sucesso. E mais, não tem preguiça e má vontade pra fazer isso. O que se apoia é amigo de si mesmo, haja o que houver, caia o quanto tiver que cair, a primeira força que ele recebe pra levantar é a sua própria. Não fica esperando o outro vir enxugar as lágrimas dele, não mesmo. Ele faz isso por si.

Ele vai até o espelho da vida, se encara, não foge dos seus medos como os covardes fazem, pois preferem mascará-los, para passarem uma imagem de fortes, mas são tudo calça borrada! É como eu falei, é orgulho, pose, arrogância. Eu sou isso, eu sou aquilo, eu faço e aconteço, mas basta o desafio chegar que chora, treme as pernas e corre pra mamãe (zona de conforto)! É esse o forte? É esse o homem de garra ou a mulher de fibra? Esse fracotes não se posicionam consigo mesmos e depois querem vencer na vida, ter prosperidade, arrumar relacionamentos e tal!

É, porque relacionamento amoroso flui na mesma onda, a sua energia positiva torna você uma pessoa interessante pro outro, porque gera em seu corpo hormônios que despertam o interesse e a atenção alheia. E gente que é frouxa não produz energia atrativa. Deve ficar exalando assim: Sou cagão, sou cagão, sou cagão! Aí o freguês (a) passa perto e até vira a cara. E o que é pior, a vida também faz o mesmo. Quando ela sente nossa energia baixa e negativa sai fechando todas as portas, assim como você faz com aquela visita chata que só conversa sobre problema. 

Quem quer receber gente assim em casa, que só conta desgraça?
Da mesma maneira, a vida não consegue oferecer recursos e abrir portas pra quem não tem uma energia forte consigo, pra quem não se apoia em positividade. Sucesso é só pra quem se leva pra frente, pra quem se motiva, se abraça, se aceita, se compreende e se fortalece sempre que preciso. Pra quem crê em si mesmo e reconhece que é capaz de superar qualquer dificuldade. Aí, quando o indivíduo está nessa vibe, a vida dá outras respostas, promissoras.

Ela fala assim: Olha, o fulano (a), tá de boa! Está indo no positivo com ele, Está se abençoando e sendo forte... Huummm... Vamos mandar dinheirinho pra ele, vamos mandar oportunidades, saúde, namorados interessantes (porque gente forte é bonita, atraente, então arruma namorado (a)), crescimento, transformação, etc. 

Ou seja, o seu Bem consigo cria o Bem na sua vida. Aí não precisa nem de complemento, essa frase está bem clara. 
Ei, se apoie nessa semana, incondicionalmente. Fique do seu lado que a solução vem, viu?

Seja abençoado!
Vinícius Francis 

Nosso blog dispõe de materiais e cursos com ensinamentos e técnicas para auxiliar seu crescimento e progresso espiritual. Para conhecê-los clique na imagem ao lado. =] 

Um comentário:

  1. mais um texto, muito bem escrito e direcionado!
    me proporcionou algumas risadas tb, rss...

    Lindo! Caminhar no Bem requer muita força e determinação... e é o único caminho q verdadeiramente nos liberta!!

    Vamos sempre Seguindo!
    Obrigada pelas palavras!

    Paz e BeM*

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.