terça-feira, 23 de junho de 2015

Não corte o seu barato


Vamos falar um pouco sobre desejos e criação deliberada? Acho esse tema fantástico e de fato, foi ele que me atraiu pra esse trabalho que realizo hoje, junto às energias não físicas, de orientar as pessoas no despertar de sua consciência. Somos criadores, isso é uma verdade incontestável. No entanto, no caminho da prática, nem sempre sabemos lidar com esse poder.

Na verdade, acredito que todo esse ensinamento que os grandes mestres dispensam sobre a Terra (ensinamento funcional eu digo) é muito mais sobre “como” proceder na arte de criar, do que para meramente nos dizer que temos o poder. E claro, temos o poder sim! Criamos os nossos problemas! Se somos bons em amarrar a nossa vida numa situação difícil, se somos fortes o suficiente pra empacar a nossa realidade em circunstâncias desgostosas e amargas, somos capazes, também, de criar o Bem, muito mais capazes, eu diria. Porque criar o Bem é o nosso estado natural de ser.

Porém, existe uma pedra de tropeço no caminho dos criadores que estão se tornando conscientes de sua habilidade de materializar as situações da vida, ela é pequena, mas tem um potencial tremendo pra nos fazer cair! É o ato de nos auto sabotarmos. Pra ser mais claro, de cortar o nosso barato, de não nos permitirmos sentir e ser guiados pelas nossas boas sensações.
Por exemplo: Ao pensarmos em algo, qualquer coisa, que seria legal se acontecesse, ao invés de entrarmos no fluxo daquele pensamento bom e estado emocional gostoso e simplesmente darmos corda, não! Permitimos a entrada da nossa cabeça no meio do processo, com as velhas crenças, com os famosos “mas”. Enchemos nossa energia de desculpas e geramos um verdadeiro freio vibracional em nossos projetos energéticos. Porque se as novas ideias contrastam e discordam vibratoriamente das crenças e padrões que cultivamos freamos inconscientemente o processo e não permitimos as mudanças e manifestações.

Basta pensarmos numa realidade cheia de benção, prosperidade, saúde e amor, para que nossa cabeça mal educada e cheia de crenças que nos limitam interfira com seus argumentos: Ah, mas quando isso irá acontecer? Isso é difícil, quantas pessoas você conhece que tem esta vida que você deseja? Falta muito pra isso ser real! As coisas não são assim! E se não acontecer? E se não der certo, o que você vai arrumar? 

Percebe a chatice que é isso na cabeça da gente? Nós criamos o Bem e em seguida o anulamos, desfazemos. Precisamos escolher de que lado vamos ficar, se é dos criadores que manifestam seus sonhos e suas almejadas bênçãos ou se é do lado dos que se frustram por conscientemente ou não, usarem seu próprio poder contra si mesmos.  Não saímos do lugar quando cortamos o barato da nossa energia positiva, nossa realidade não muda se permanecemos sustentando padrões que não nos favorecem.

Querido, se uma ideia é contra o que você quer, pra que sustentá-la? Faz sentido isso? Dispense, negue, ignore, rejeite. O seu poder e arbítrio decidirão a seu favor, basta você se decidir com firmeza. Tome posse de si e do seu poder, coloque-o onde quer que ele opere e não o tire, haja o houver, não o tire de lá. Continue afirmando, deixe-se levar pela emoção boa, pois se ela está aí é sinal de que o que você quer está vindo, sendo “puxado” pelo magnetismo do seu bem-estar, da sua fé. Deixe-se levar, afinal, se tiver neste mundo alguém que já vive algo que você almeja é porque seu desejo é possível. E se ninguém ainda chegou lá, então, a vida está te convocando a ser o primeiro a fazer isso. Vá por esse caminho!

Seja feliz!
Vinícius Francis

Quando o assunto é permitir e se abrir para o Bem que somos e que desejamos criar em nossa vida, os Elohim são mestres em ensinamentos assertivos que nos auxiliam de maneira ímpar na construção da nossa felicidade neste mundo. Se você deseja conhecer os livros canalizados e adquiri-los, clique aqui ou aqui. Seja abençoado!

Um comentário:

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.