domingo, 17 de agosto de 2014

Os Elohim - Do contraste à expressão da perfeição


Pergunta: Por que os negros foram subjugados enquanto raça humana durante séculos, sofrendo o terror da escravidão? E seriam os dons artísticos, principalmente no que concerne à música, marcados pelas vozes virtuosas de inúmeros cantores negros que se destacaram mais intensamente nos Estados Unidos, uma forma de compensação em detrimento ao sofrimento e humilhação vividos por esses seres?

Elohim: Não somos todas as respostas, preferimos ser todas as perguntas, pois se as perguntas não existissem, não haveriam também as respostas. Vossas dúvidas e questionamentos vos levam a absorver o conhecimento do Universo. Por isso estamos muito mais nas perguntas do que nas respostas, pois no questionar está o convocar da vida para mais conhecimento, sabedoria, lucidez. E somos exatamente isso, a lucidez da vida.

Sim, estamos lúcidos em nós e sabem o que é isso? É estar ciente do seu ponto no agora e a partir disso focalizar-se em seu bem estar, na mais profunda e forte sensação de alegria e felicidade, de tal modo que nada mais tenha significativa importância ao ponto de vos tirar desse alinhamento. Quando estão lúcidos, encontram-se exatamente nesta conexão que citamos. E estamos assim neste instante e permanecemos certos de que amanhã (em vossa contagem do tempo) também nos encontraremos da mesma forma. Visto que um “hoje” vivido e sustentado no fluxo do Bem e em boas sensações, pela lei, fará brotar amanhã, um novo dia na mesma frequência, na mesma plenitude.

Vocês todos também são merecedores desta dádiva de estar constantemente feliz. Sabemos que nem sempre é assim com vocês e de forma alguma vos julgamos, pois compreendemos o vosso processo de viver, até porque é justamente ele que vos fará escolher, mais tarde, viver neste estado. E tal alinhamento é possível? Sim, e essa possibilidade não tem nada a ver com o contraste. Tem a ver com a reação que se manifesta diante dele e nele.

Vocês poderiam argumentar que onde “estamos” agora (pelo menos é assim que vocês nos enxergam) não existe o contraste. Nós concordaríamos com vossos argumentos, entretanto, vale ressaltar que a maioria dos contrastes que vocês enfrentam também não está dentro de vosso convívio, ele aprece muitas vezes pela televisão, na casa de um vizinho, na internet. Porém, mesmo estando lá fora, longe, vocês se permitem envolver-se emocionalmente nele e é isso que vos faz cativos de emoções ruins.

Já imaginaram o aconteceria se nós decidíssemos fazer como muitos de vocês? Temos acesso a toda informação da vida no Universo e de tudo o que acontece nele. E afirmamos que o contraste que existe aí também opera em muitos outros orbes e dimensões, de forma até mais acentuada que na Terra. E como nos sentiríamos se decidíssemos focar nossa atenção em todo esse aparente “caos” que opera no Todo? Como estaria nossa vibração se escolhêssemos fazer dele o nosso programa? O nosso alvo de importância?

Somos felizes, não porque estamos longe do contraste, mas porque aprendemos a enxergar através dele o Bem, que muitas vezes usa o caos para sobressair-se e se externar em toda sua plenitude. Da mesma forma, não olhamos os negros, os seres humanos de pele negra, como vítimas do preconceito ou como apedrejados pela sociedade humana. Porque se tivéssemos esse olhar sobre o que acontece aí concernente à questão, listaríamos também os religiosos que são perseguidos em muitos países por suas crenças pessoais. Listaríamos também os homossexuais que são vistos como "doentes" por muitos dos seres humanos. Acrescentaríamos os gordos, porque também sofrem preconceito e os magros da mesma forma. Os brancos, os pobres, os ricos, enfim, não sobraria ninguém.

Se fôssemos listar o que parece estar errado veríamos muitas coisas, porque quanto mais se põe a atenção no que parece não ir bem, mais coisas o Universo dará para serem acrescidas à lista. E de fato, tudo está indo bem se o observador se propuser a enxergar a beleza da vida estimulando a tudo e todos através dos contrastes.

Bom, sabemos que para vocês o “diferente” é a questão. O preconceito na Terra existe pela não aceitação do diferente, Porque alguém, uma determinada sociedade ou grupo decidiu acreditar e apregoar que existe uma fórmula do que é perfeito, natural e certo. E a partir disso, tudo o que não se encaixa nessa fórmula é automaticamente considerado como "menos", com distorcido. Disso nascem as ideias de superioridade ou de inferioridade. Vocês estão compreendendo?

A educação moral humana de muitos milênios sobre o vosso orbe vos levou a nutrir tais ideias e infelizmente, muitas delas foram ligadas a Deus, ou ao que inventaram sobre ele. Lê-se em livros religiosos a “divindade” apoiando uma série de coisas que para a sociedade humana atual, seriam inaceitáveis e consideradas absurdas, desumanas. O “comportamento divino” andava em sincronicidade com o humano. E isso leva à compreensão de que a “figura divina” era diretamente manipulada pelos homens.

No arranjo divino tudo e todos são perfeitos do jeito que são. Uma pedra poderia ter menos importância do que uma fruta para um ser humano faminto. Mas a fonte nunca está faminta demais para não perceber o valor de qualquer coisa que seja. Tudo é extremamente valioso para a energia cósmica que a tudo cria e move. 

Vossa civilização aprendeu a enxergar com preconceito e a nutri-lo porque os vossos homens e mulheres não desenvolveram a arte de observar todas as coisas a partir da consciência da fonte em si mesmos.

O preconceito existe por isso e o ódio também. A inveja existe pelo mesmo motivo, pois se aquele que a sente usasse as “lentes” de Deus no momento em que observa seu semelhante vivendo, experimentando ou tendo algo que ele gostaria de possuir, enxergaria naquela situação uma evidência de que a fonte desdobrou-se prospera e positivamente através do outro. E se assim sucedeu, da mesma maneira, também pode ocorrer com ele. E mais, tudo o que surge diante de alguém é sempre um indício de onde está focada a sua energia. Então, este, que antes invejava, se alegrará ao presenciar o que citamos, porque ele encontraria na experiência um “Sim” do Criador e não uma negativa por parte do mesmo.

Todos vocês são a mais pura expressão de Deus e queremos que se recordem disso dia após dia. E dentro da pergunta, queremos falar que tudo o que ocorreu aos negros os expandiu sobremaneira. Não haveria, conforme citado na questão, homens e mulheres negros com tamanho talento e expressão da beleza e harmonia celeste através de inúmeras artes se eles não sofressem o contraste. Não dizemos que a escravidão foi necessária, jamais afirmaríamos isto.

Dizemos que o contraste é necessário para extrair de cada um de vocês o potencial que carrega. Em todos os casos e em todas as situações, antes que o vencedor descobrisse que era digno da vitória houve uma situação, o contraste, que de alguma maneira o fez perceber que merecia mais. Do mesmo modo, cada dia de sofrimento que os negros atravessavam os fazia olhar para dentro e desejar por mais e mais, porque a fonte neles sabia visceralmente que mereciam uma vida além daquela realidade, que eram muito mais do que servos e tão senhores de tudo quanto os brancos.

E quando eles estavam em seus momentos de repouso e descontração, poucos e raros, ajuntavam-se em volta de fogueiras e procuravam alívio para as dores e desconfortos emocionais (e às vezes físicos). E sabem onde o encontravam? A resposta está na pergunta: Na Arte. A expressão da arte, em todos os níveis, é a forma mais perfeita de se conectarem com a parte pura que há em vocês. Por isso ela vos excita tanto, por isso ela vos move tanto e vos promove tamanha alegria.

E naqueles momentos, era como se eles (os negros) dissessem, inconscientemente, a si mesmos: Preciso encontrar em mim uma maneira de esquecer a escravidão na qual estou fisicamente submetido. Embora minha pessoa física sirva a outro ser físico de uma maneira como minha fonte diz que não mereço, eu vou me permitir encontrar momentos onde esse desconforto não seja sentido.

E a emoção, promovida pelo contraste, os fizeram cantar, dançar, desenvolver e aprimorar, justamente, os ritmos musicais mais festivos que existem em vosso mundo. Justamente o oposto vibratório do que sentiam em suas vidas marcadas pela escravidão.

Mais tarde, quando todo aquele contraste se foi, eles continuaram na Terra, e muitos dos que foram escravos "voltaram" em tempos mais atuais como senhores a esboçarem através da arte a mais perfeita harmonia com a melodia da vida. Eles renasceram e apresentaram ao mundo o fruto da experiência do contraste atravessado ao terem sido escravos, expressando toda grandeza de sua arte, cultura e conexão com a energia da alegria. Com um talento excepcional.

Vejam o que os negros fizeram! Transformaram o contraste na inspiração, em grande parte, dos maiores talentos que a vossa humanidade já presenciou. 

Atualmente é desejo de muitos artistas iniciantes terem um dia a mesma desenvoltura na arte, em música, por exemplo, que muitos negros têm e tiveram enquanto encarnados.

Nesta atitude de renascer trazendo o fruto do contraste como criação perfeita seria como eles dissessem: 

"Renasçamos sobre a Terra e apresentemos a eles o fruto da vivência do contraste e mostremos que mesmo quando há dor e sofrimento, estes podem ser convertidos em júbilo e alegria. Mesmo quando há profunda repressão e restrição é possível se criar a mais intensa liberdade. Mesmo quando há submissão imposta e preconceito é possível transmutá-los em amor, em emoção, em arte, em música, em dança, em perfeição. Vamos renascer sobre a Terra e levar aos brancos, negros e todos os seres humanos a arte de fazer de nosso sofrimento passado a árvore que produz frutos de excelência. Vamos ensiná-los a fazer do contraste o seu maior aliado para o despertar da essência e perfeição. E com nossa arte, invejada, vamos promover isso. Nós fizemos do nosso sofrimento o trampolim para a expressão de quem realmente somos e estamos na Terra para demonstrar isso ao mundo."

Consideramos perfeito. Nós, Elohim, de nossa parte vamos afirmar segundo o que sentimos e somos: Os negros são fabulosos, são fantásticos, são perfeitos assim como todos os brancos e toda criatura no Universo é. E mais, o ensinamento que eles promoveram através de sua experiência é algo realmente digno da expressão da perfeição. É algo eternamente apreciável. Portanto, estejam certos de que todo aquele que faz do contraste o impulso mais forte para o externar do seu melhor, terá feito a obra mais certa e sublime. A obra mais perfeita consiste em propositalmente ser o que é, independente do que está lá fora.

E mesmo escravos e subjugados por uma sociedade hostil e preconceituosa os negros foram plenos o suficiente para resplandecerem a sua natureza com maestria. Eles são ou não fabulosos?

Nós amamos vocês, negros, brancos, físicos e não físicos, pois somos a mesma essência que vive em vosso interior. Haja luz!

Os Elohim através de Vinícius Francis

A sabedoria dos Elohim se transformou num lindo guia, um livro com mais de cem páginas canalizadas com suas mensagens ricas em luz e ensinamentos que, se praticados, podem transformar a sua vida, clique aqui e saiba mais http://os-filhos-da-alva.blogspot.com.br/2014/01/guia-dos-elohins-arte-de-viver.html.

Um comentário:

  1. Quanta propriedade para abordar um tema tão polêmico. Que leva cada ser humano a uma reflexão mais profunda sobre quem somos e como olhamos o outro.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.