segunda-feira, 21 de abril de 2014

Cativos da frustração



Começamos a semana após o feriadão e muitos estão sentindo a famosa “frustração” (começou rimando, no compasso). Pois é, ela é a companhia garantida dos insatisfeitos e dos que resistem a si mesmos. Sabe o que é frustração em forma de estado emocional? É a sensação de não poder viver e desfrutar de alguma coisa. Porque ela pode existir de duas formas, como “reação” ou como “estado”. “Reação” é, por exemplo, quando algo que espero dá errado, aí eu a manifesto desta forma, como se alguém freasse a minha esperança. Pronto, frustração de “reação” é esperança freada.

Mas não falo aqui de reação, e sim, de estado. A frustração como estado é quando eu vivo numa insatisfação que me murcha e me desmotiva por algum motivo. Sabe quando a gente está, tipo, observando um pôr do Sol, e de repente, bate aquela insatisfação, aquela coisa amarga de “Não estou me sentindo realizado”? É ruuuuim! E eu sei que você sente isso direto.

E além desta frase, vem outra: “Eu queria estar fazendo outras coisas”. E aí coisa vai a mente vai dando corda: “Que vida sem sal”, “Que dia morno”! Parece que falta algo no peito. É como se alguém gritasse: Ei, preste atenção no que estou sentindo!

E é bem isso mesmo, frustração é exatamente a voz da alma expressando a sua insatisfação e anseio por algo que não estamos, de alguma forma, suprindo, oferecendo. Agora eu te pergunto: E aí, você encara o que sente, ou é do tipo que foge, que tem medo de ver o que tem lá dentro? Prefere fingir que é fome, tédio ou pior, que é culpa da TV? Afinal, os programas andam tão chatos, a programação anda uma “merlin” (você entendeu), é ou não é?

Aí você pega o carro e vai dar uma volta. Com aquela desculpa: Vou distrair. Não é assim que você faz? Só que você senta no banco do motorista e a frustração senta ao seu lado. E pra não ouvi-la, você convida alguém pra ir junto, geralmente parente, e aí é pra acabar de vez. Daí acontece que a frustração senta no banco de trás. Mas ela está lá, e vai continuar lá até que você olhe pra ela. Quer tentar se esquivar? Tá certo, foge, sai correndo, vai encher a cabeça com distrações que a única coisa que fazem é tapear você do real, da voz da sua alma.

E nesse jogo infeliz a maioria espera algo pior acontecer, sabe, uma doencinha aqui, alguém importante morrendo ali, essas coisas que a gente precisa experimentar pra acordar, os famosos tapas da vida. Frustração só pode ser curada quando a encaramos e compreendemos o motivo pela qual ela está ali impregnada na nossa carne.

E eu vou falar mais uma coisa, sabe por que você não quer parar com as distrações e ouvir o que sua alma tem a dizer? Porque você sabe que não tem coragem de bancar a sua real vontade, é cativo do mundo. Aí prefere se fingir de besta e ficar naquela rotina sem sal. Pois fique, fique o quanto quiser, mas vai ter que pagar o preço viu? Vai pagar o PREEEEEEEEÇO! Estiquei pra você poder ler bem esta palavra. 

Vida chata, sem novidade, tudo a mesma coisa eternamente. Entra semana e sai semana, meu Deus, aquela mesma chatice, as mesmas pessoas, as mesmas conversas, os mesmos programas! Que triste! Vamos encarar essa frustração? Cansou de sofrer essa angústia aí no peito? Já apertou o suficiente? Porque tem que cansar, senão você não cede. Se não bater pra valer e te deixar bem cansado, você não vai ceder. O cansaço é o amigo da alma do homem, porque é ele que nos convence de nossa irresponsabilidade para conosco.

Vá até sua alma (no peito), pergunte o que ela quer? Pergunte qual é a dela? Se permita sentir, sem manipulação da cabeça. O que sente? Sobe uma coisa não é? Dá um fogo na barriga, aquele entusiasmo gostoso que vem tomando conta do corpo como uma corrente elétrica! Pois é, essa é a sua satisfação interior que quando negada, causa frustração.

Para se curar da insatisfação de viver e na frustração, que nos faz perder o brilho e as cores da vida, é necessário que nos enfrentemos corajosamente, que nos banquemos, que digamos “Sim” aos nossos desejos e que tenhamos disposição e motivação para seguir em frente, na nossa, por nós e conosco. Dando incansavelmente força para a alma. Somente a atitude de vencer seus monstros e viver por si pode curar você, do contrário, é melhor se acostumar com as tardes cinza e dias sem vida, onde você será um mero espectador do que acontece lá fora. Você escolhe. Tenha uma boa semana!

 Vinícius Francis

3 comentários:

  1. A amarga frustração só se rende ao doce sabor de viver a posse de si. Parabéns pelo texto. Quando não só lemos ou ouvimos a verdade, mas aprendemos a enxergá-la, tudo flui.

    ResponderExcluir
  2. Um dos melhores textos que já li.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.