segunda-feira, 24 de março de 2014

Aprenda a cuidar de você


Eu gosto quando os Elohins nos chamam de “arquitetos divinos”. De fato, é isso que somos, embora a maioria ainda não tenha se dado conta ainda de que cria a própria realidade. Parece que em alguns casos, a ficha demora a cair. Mas isso é porque nossa educação religiosa e social nos oferece ideias muito reduzidas, muito limitadoras. Somos ensinados a nos ver como errados, imperfeitos e em alguns casos como vítimas, coitadinhos.

Isso é o que não somos mesmo! Se somos vítimas de algo, sem dúvida é da nossa própria ignorância. Observe a vida de alguém que está sofrendo, preste bem atenção nela, ouse conviver mais de perto por um tempo com essa pessoa. Se você for esperto, rapidinho vai notar uma porção de comportamentos e atitudes de auto sabotagem por parte dela para consigo mesma.

Passar um momento nos observando de fora também é um ótimo exercício, como se fôssemos outra pessoa nos avaliando. É incrível como pegamos um monte de coisa desconexa em nosso comportamento no dia a dia. Não somos nossos maiores inimigos, claro. Mas também estamos longe de ser nossos melhores amigos, infelizmente.

Em muitas ocasiões, ao invés de nos sustentar em nossa força, de dizer palavras de motivação quanto aos nossos objetivos, nos colocamos pra baixo. Somos os primeiros a nos negativar, a nos culpar, nos condenar e nos punir. Como é que queremos seguir em conquistas e progresso se a energia para isso, que é o nosso apoio pessoal, não está operando?

Damos força pra todo mundo, incentivamos os outros a irem e até fazemos aquele discurso para os familiares, aquele sermão, você sabe como é. Porém, quando a coisa é com a gente, não tem. Na hora que você mais precisa de si, é o primeiro a se abandonar, o primeiro a se ferir com sua própria condenação. Olha como tramamos contra nossa felicidade!

Dá tudo seu para o outro, dá até a vida pelos interesses alheios. Gasta seu tempo, seu dinheiro, sua força, seu poder ajudando o fulano a melhorar de vida, só que não move uma palha por si mesmo. Se permite ser capacho de sentimentos alheios, da vontade e necessidades da família, mas da própria vida não sabe nada. E que vida também? Nem deve ter vida pra se preocupar, porque dá tanto de si para os outros que até fica sem.

É preciso tomar posse. É preciso prestar atenção nos seus sentimentos e cuidar deles. Amar os outros e ajudar o próximo é algo magnífico, mas não antes de cuidar de si mesmo. Você é a prioridade, o primeiro lugar da fila. Seus interesses precisam vir em primeiro. Se não pensar em si vai ficar danado! Você está esperando quem pensar? Deus? A família? Vai esperando, no umbral está cheio de gente que esperava também.

Deus faz o que você faz consigo. Deus não é seu babá, sua família não tem que cuidar de você, isso é tarefa sua. Te levantar e te pôr numa melhor não é trabalho pra ninguém, é seu trabalho. E a menos que você faça, tudo vai continuar como está, sem cor, sem vida, afinal, quem colore tudo e dá sentido é somente você.

Saia dessa, pare de esperar que o mundo te note e pare também de servir a tudo e a todos. Pare de ser pacote, porque pacote acaba sendo chutado hein! Preste atenção nisso. Quem gosta de estar sempre à disposição do mundo é útil e nada mais. Mas aquele que se presta a se valorizar e saber a hora de realizar as trocas é o que atrai respeito e amor. É dando a si mesmo que se ganha do outro. Só somos notados e valorizados quando fazemos a mesma coisa conosco.

Seja feliz!!!

Vinícius Francis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.