terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Conversando sobre Prosperidade


Vamos ter uma conversa rápida sobre prosperidade? Porque eu tenho certeza de que você, assim como eu, quer atrair cada vez mais disso, não é? Entretanto, como tudo, a abundância tem leis e infelizmente, muitas vezes, desejamos, ansiamos, visualizamos, porém, cultivamos atitudes, crenças e valores que definitivamente anulam todo o nosso empenho.

Porque as crenças são as portas por onde os poderes de Deus fluem e se suas ideias não forem coniventes com o desejo, nada acontece. E eu quero falar sobre uma ideia adotada pela maioria das pessoas que se envolvem com espiritualidade que literalmente arrebenta com a vida financeira delas, que é a conhecida frase de Jesus: De graça recebestes e de graça dais.

Gente, há uma confusão tão grande com isso! Primeiro porque a intenção de Cristo nunca foi se referir a dar algo de graça pra alguém, nunca mesmo. Eu já estudei todos os evangelhos e sei bem sobre quais circunstâncias ele disse isso e com qual intuito. Aí vem um desentendido, pega essa frase, ensina os outros e pior, as pessoas acreditam, vestem, vivem assim e não percebem que as coisas simplesmente não vão.

Essa é uma deficiência da espiritualidade no Brasil. Aprendi isso com os ensinamentos do Luiz Gasparetto, grande mestre tanto na teoria quanto na prática. Eu vou logo dizendo algo pra você que quer prosperar, sei que muitos não vão gostar, mas eu  escolhi ensinar o que precisa ser dito e não o que querem que eu diga:

Pare de dar suas coisas de graça. É escandaloso dizer isso? Talvez num país como o Brasil, onde infelizmente ainda há muito preconceito com isso, possa mesmo ser feio afirmar tal coisa. Entretanto, dentro da lei, os que se dão gratuitamente a todos, seja em que dom for, estão desvalorizando o que Deus deu, ou seja, está ativando a energia que impede o fluxo próspero na vida.

Dinheiro, prosperidade e abundância são “Valor” e se você valoriza seus dons, cria “Valor”, se desvaloriza, cria “desvalor”, deu pra entender? E isso funciona realmente. Eu infelizmente passei tanto tempo dando tudo meu de graça, em total desvalor e desconsideração ao que a Vida tinha me dado. Os dons são o meio pelo qual flui grande parte dos recursos divinos para uma vida satisfatória.

Já pensou se um médico pensasse assim? Um professor? Um cantor? Tipo, Deus me deu a voz de graça, então eu não devo cobrar pra cantar! Olha que absurdo! 

Como assim deu de graça a voz? Ele estudou canto. Eu também canto, trabalhei minha voz, faço exercícios até hoje, estudei durante anos técnica vocal, aprendi e passei muito tempo me dedicando a aprender a arte, então quer dizer que se eu cantar profissionalmente, não devo cobrar? De onde esse povo tirou isso?

Mas onde pega a coisa é na espiritualidade. Sim, cobrar por serviços envolvendo espiritualidade no Brasil ainda é visto como feio, infelizmente. Porque alguém um dia disse que aquilo que os espíritos nos ensinam não deve ser cobrado para ser distribuído. Alguém disse essa besteira, a maioria acreditou e temos que conviver com isso até hoje. E na prática? Quem faz isso não vai pra frente. Eu não ia, servia todo mundo, ficava horas me dedicando a ajudar as pessoas, só que minha vida não saía do lugar!

E se eu realmente estivesse fazendo o certo, era pra eu ter melhorado, não concorda? Mas não foi isso que ocorreu. E em determinado momento, os meus guias me chamaram a atenção sobre isso e eu mudei. E engraçado, as coisas começaram a andar! Claro que “valor” abrange outras áreas da vida, que também mudei, só que hoje, estamos falando desta em específico.

Então um médium, que estuda, que passa horas lendo, que se aprofunda na espiritualidade, que passa muitas situações na vida para chegar ao nível de evolução correspondente com o que precisa ensinar não pode cobrar? Não tem direito? Tem que passar o dia inteiro servindo os outros? É isso que é o certo? O sujeito passa boa parte do tempo auxiliando a vida dos outros a ir pra frente e não pode ser financeiramente gratificado por isso? “Não, que Deus lhe pague”! Espere aí, você foi o ajudado e é Deus quem paga a conta?

Então, você vai ao supermercado, faz sua compra mensal e diz para o funcionário do caixa: Que Deus lhe pague? Como assim? Que crença pobre! Pagar por algo que você adquire é uma maneira de demonstrar sua gratidão e respeito pelo trabalho do outro, e gratidão puxa mais benção!

Quem quer tudo de graça dos outros é porque não respeita o próximo, não tem consideração pelo direito das pessoas e o pior é que muitas vezes se afirma espiritualista! E depois acha ruim quando tem que sofrer as consequências de um governo que rouba e tira os recursos do país. Quem cria isso? O povo! Com essas atitudes feias e de desvalor. E vem cá, você acha que os espíritos trabalham de graça?

Se você não sabe, no plano astral, todos eles são gratificados pelas obras que fazem, eles chamam de “bônus hora”, é um “crédito” dado conforme o tempo dedicado ao serviço nos planos elevados. Ou seja, nem eles estão servindo à humanidade sem ganhar nada em troca. Porque eles sabem que todo Universo funciona na “troca”, nada é dado gratuitamente a ninguém, tudo vem com mérito e o que é isso senão a “troca”?

E quem pensa o contrário atrai para si situações de desvalorização, principalmente financeira. Se você quer prosperar, valorize-se, faça justiça com o seu tempo, com o seu dom, com o seu empenho realizado para saber o que sabe e fazer o que faz. É direito seu, seja o dom que for, Deus te deu e você pode receber dinheiro em troca. 

Dinheiro é bom, é de Deus. A pobreza sim, não pertence a ele. Tire da sua cabeça que receber dinheiro em troca de favores, principalmente espirituais é sujo.

Dinheiro não é sujo, é tão honesto ganhar dinheiro quanto ouvir um “muito obrigado”. Você fez por onde, é justo receber dinheiro pelo que você faz. Pare de negar isso, se quiserem te pagar pela ajuda que você deu, seja de que jeito for, receba! É direito divino seu.

Eu amo ajudar as pessoas, amo espalhar a luz e o Bem, mas amo a mim primeiro e só ajudo quem me ajuda. Parece egoísmo, mas isso se chama Justiça. Não me dou pra ninguém, eu troco. Não vou passar a minha vida simplesmente servindo os outros. Eu aprendi que devo servir ao meu espírito. E olhe, está tudo muito melhor assim em minha vida, em todos os sentidos.

Faça o Bem ao mundo, mas sem lesar você, porque as consequências podem ser graves. Valorize-se e ensine isso ao próximo. Ao mesmo tempo, valorize o que é dos outros, pague com prazer, sem reclamar. Assim como não deseja que façam contigo não proceda com os demais. Eu deixei uma semente com você. Agora se plantará ou não, depende da sua escolha. Quer continuar praticando da forma prejudicial? A decisão é sua, só que os frutos, esteja certo de que você colherá, se já não está colhendo!

Quer melhorar sua vida financeira? Então mude seus conceitos. Porque essa ideia que a maioria ainda tem e diz ser espiritual é profundamente deturpada, errada e extremamente prejudicial para quem vive segundo ela.

Seja Próspero,

Vinícius Francis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.