sábado, 7 de setembro de 2013

Por que sofremos? - Parte 2

O sofrimento e a educação social e familiar

A dor é necessária para nos atinarmos a certas coisas e aspectos em nós. Uma vez ouvi dos Elohins que a dor é decadente em tudo e fiquei bem pensativo. E daí eu entendi, a dor, o sofrimento em si, o machucar, é ruim, é decadente porque a amargura que aquilo me provoca, muitas vezes, faz com que eu reaja mal, com que eu me feche ainda mais para o Bem, numa atitude instintiva de me defender.

Por isso que ela é decadente, neste sentido, de que ela pode tanto cutucar você para o real, como pode te fechar para ele. No sentido de que não se ganha nada ensinando a partir da dor. Observe bem os presos, os bandidos e pessoas que são colocadas na cadeia, a maioria deles apanha demais. Sofre agressões. _ Ah, mas eles cometeram crimes! 

Eu sei, mas quem sou eu para julgar um ser humano por algo que fez e me achar no direito de machucá-lo, achando que com isso, estou dando uma lição do tipo: “Nunca mais faça isso”.

Com agressão não consigo passar esta mensagem ao sujeito, antes, apenas desperto a ira dele, a revolta e na primeira oportunidade, o indivíduo irá querer se vingar, promovendo ainda mais o mal.

A maioria das crianças que apanha dos pais é problemática, ou seja, desenvolve, a partir da adolescência, comportamentos traumáticos que deformam sua personalidade, sujeitando-as a sérios problemas. E até que elas, mais tarde, compreendam que dois mais dois não dá cinco, vixe, é muito sofrimento. E dentro do nosso conceito, um sofrimento desnecessário. 

Quanta dor poderia ser evitada se soubéssemos usar a inteligência. Ah, entramos bem no tema, a compreensão minimiza a dor.

Mas tem algo na dor que é funcional, que é bom. A dor provocada propositalmente é contra o fluxo, mas provada e “experienciada” na posição de “preciso descobrir” é boa, é promissora. Por que, de repente, é vivendo a dor que saberei que não é bom sofrer e a partir disso, evitarei o sofrimento, claro que numa postura bem inteligente e lúcida.

Obviamente, não temos essa consciência de que o sofrimento pode ser evitado. E a maioria está sofrendo por não compreender essa verdade. Por isso que os Elohins disseram que a dor é decadente, e sabe por quê? Pense comigo: Se você bater num animal, ele vai entender a sua correção? Não, ele vai desenvolver ainda mais medo, ou seja, vai se reprimir. Logo ele será um animal traumatizado e possivelmente feroz, agressivo. E como reação natural, uma hora, se ele for bem decidido, irá retribuir a dor com o quê? Com a dor. Certo?

Isso educa? Isso ensina alguém? Bater numa criança ensina? Claro que não! Como você quer ensinar a educação e os bons princípios através do sofrimento. Você está louco? Como você acha que isso funciona? Claro que o espírito que sofre tem a opção de se livrar do sofrimento se souber reagir com força no sentido de se libertar daquilo.

E partimos para o bom princípio que ouvi uma vez de uma pessoa fantástica, que diz: A dor não muda ninguém, só o cansaço. _ Ah, Vinícius, acho que estou começando a pegar a coisa!

A dor, caros leitores, machuca e o que machuca não pode fazer você evoluir, isso vai contra tudo o que existe em termos de lei no Universo. Mas a sua reação e atitude diante da dor, sim, faz com que você perceba onde está o “errado” (que podemos substituir por contra o fluxo natural do seu ser). A sua postura ante a dor de: “Opa, não é por aí”  é funcional e positiva, mas a dor em si não é.

Você bate no seu filho porque não sabe lidar com ele. Claro né, você não sabe lidar nem com você, que dirá com outro espírito. Aí como não tem ciência e educação correta para conduzi-lo na vida, justifica sua covardia (porque isso é covardia) na ideia ridícula: Ah, acho que uma palmadinha bem dada é necessária.

Você diz isso porque deve ser um saco de pancadas da vida, que só aprende na base da porrada. Observe os filhos que são criados sem agressão e veja como se tornam adultos resolvidos. A boa educação dispensa a dor. Sem falar que os filhos que apanham desnecessariamente, (que segundo você, te irritam e por isso não consegue conter o nervosismo e acaba agredindo-os) geram ainda mais dor aos pais quando adolescentes, por desenvolverem comportamentos revoltados, ou seja, você usa a dor para conter o mau comportamento, só que cria ainda mais dor.

Percebe que isso de agredir não funciona? Você agride porque também foi agredido. Está repetindo o que fizeram com você. A dor não ensina, bons exemplos sim. Você dá uns tapas na criança porque ela, de repente, gritou ou desobedeceu uma ordem, certo?

E você, por acaso dá exemplo de equilíbrio e conduta pra ela? Por acaso se comporta corretamente, com decência e equilíbrio diante dos seus filhos? Eu acho que não. Eles copiam suas atitudes na maioria das vezes, em outras palavras, eles apanham por fazerem algo que aprendem com quem? Com você. Bater não educa, o que educa são bons exemplos, boas regras e disciplina. Guarde isso. Se você oferecer isso aos seus filhos, não será necessário perder o controle e descontar neles, uma frustração que na verdade é sua.

A vida não bate, ela devolve o que você faz consigo mesmo. Ela apenas faz você colher exatamente o que planta. Já experimentou fazer isso com os filhos? Garanto que vai funcionar muito mais. Amigo, o sofrimento desperta o ser humano para si mesmo, mas isso não quer dizer que eu deva estimulá-lo. Pense nisso. 

...Continua no próximo texto.

Vinícius Francis

Click na imagem acima e acesse nossa loja virtual


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.