quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Como manter-se no Bem?

Eu te convido a conversar comigo hoje sobre manter-se no Bem. Atendendo a um leitor que gostaria que eu falasse a respeito, vamos compreender esse negócio de permanecer no fluxo positivo das coisas.

E como os Elohins estão enviando o material do livro deles, estou aproveitando pra fazer aqui a “Escolinha do professor Vinícius”, claro que, sem aquele bigode horroroso do professor Raimundo. Pois é, bom que assim a gente debate uns assuntos que são comuns na vida de muitas pessoas. É verdade, não é a primeira pessoa que levanta o tema e acho até que esse é maior desafio de quem deseja viver na criação deliberada (proposital).

Sabemos que se ficarmos bem, puxamos somente o Bem, agora, a coisa que pega é o "manter". Porque sem manter o positivo, não tem mudança. E o que faz a gente sair do nosso estado de felicidade e positividade? Muito simples, nossas desculpas. 

Nossas resistências e comportamentos interiores e que naturalmente se refletem no lado de fora.

Por isso que eu digo, os espíritos nos trazem a importância de se sentir bem, só que, definitivamente não tem como se sentir bem sustentando uma porção de “meleca” na cabeça. Então, é preciso descobrir o que está nos empatando de ir além e resolver a questão.

_ Mas Vinícius, como assim “desculpas”? O que você quer dizer com isso?

_ Desculpas são os nossos comportamentos resistentes, os nossos “mas”.  Vou dar um exemplo: Eu quero ser feliz, mas... Pegou? A presença desse “mas” indica que tem alguma resistência e sempre somos nós que agimos contra no sentido de criar a resistência. É o que eu gosto de enxergar como “efeito sombra”. Eu ajo “aqui” e gera problema “ali”.

Calma que eu explico direito. Pra você entender, eu vou completar a frase que a maioria diz, que é a seguinte: Eu começo a me sentir bem, só que eu não consigo me manter assim. Vamos frisar esse “não consigo”. O que está por trás desse “não consigo”? Eu digo, uma ideia de condicionamento. Sim, você condiciona o seu bem estar a algo do lado de fora e por isso não consegue ficar bem por muito tempo.

Bastou aquele probleminha vir e você já sai fora do Bem e volta pra estaca zero. E isso acontece porque aprendemos a criar as coisas e a vibrar com base naquilo que vemos e não naquilo que “desejamos” ver. Se eu atraio por foco e importância que dou, então, preciso colocar isso nas coisas que eu quero atrair, certo?

Mas na hora, fazemos errado. Justamente tudo ao contrário. Porque o nosso bem estar está, na maioria das vezes, dependendo ou comprometido com algo externo e enquanto for assim, não tem mudança significativa. Enquanto o seu bem estar não depender unicamente da sua vontade e força, sempre você voltará pra trás.

E tem outra também, às vezes, nos sentimos incríveis por uns dias, mas quando percebemos que o desejamos não acontece, “cataplaf”! Caímos de novo na lama emocional. Como se o Universo tivesse que mudar em dias o que eu levei anos pra estragar. Olha só! E falta de paciência é uma das coisas que atrapalha o processo ou ansiedade. E voltamos aonde? Na dependência de algo externo pra se sentir bem. Você percebe?

Agora, de onde vem essa necessidade ou dependência de algo externo para que você acredite no bem? Da descrença na sua verdade interior. Sim, como somos seres físicos, parece que carregamos uma necessidade de ver e tocar para então acreditarmos que aquilo é de verdade. E se entramos nessa, realmente fica difícil mudar a vida.

Se o que vê e vive do lado de fora fala mais alto, mexe mais com você do que o que acredita do lado de dentro, então, o que prevalecerá será o que for mais sustentado emocionalmente. E só quando a sua fé interior for maior do que o seu medo, sua insegurança e qualquer outra noção de realidade que porventura tenha, é que sua vida mudará. É preciso ser forte, só os fortes sobrevivem nesse mundo.

Se você não tiver força pra manter a sua vida, pra sustentar suas ideias e ser firme nos seus propósitos interiores, não chegará muito longe. E daí, colocamos a desculpa onde? Em Deus e no Destino. Tiramos de nós a autoria e justificamos nossa atitude fraca nessas forças. Mas é tudo mentira, desculpa pra fugir da responsabilidade da própria situação. Entretanto, quem vai pagar o preço por isso? Deus? O Destino? Não, é você mesmo.

Então, as desculpa compensam? Vale à pena justificar seu medo e sua fraqueza? Te leva pra frente? Não! Então, está na hora de parar com isso. Se quer transformar sua vida terá que ser muito maduro, disposto e corajoso. Porque sempre vai aparecer gente pra tentar puxar você pra lama, sempre algo do lado de fora vai “soprar” pra te assombrar.

E o que você tem que fazer nessa hora é sustentar sua fé, é segurar a barra e dizer: Nããããão! Eu creio em mim e nada vai me tirar dessa certeza de que eu vou mudar tudo!

Porque se você der ideia pro mal, ele pega feio. Desmotiva sim, te joga lá no chão, te arrasa e te deixa triste. Então pare de dar ouvido ao negativo. Decida acreditar no que te favorece e seja forte pra segurar essa barra.

Mas ainda tem mais. Ah, tem mais sim. Tire os outros do pedestal, digo no lado de dentro, coloque-se em primeiro lugar. Olha, chega de força para o que o povo pensa, chega de fazer a vontade dos outros, chega de se manipular com medo disso ou daquilo, porque isso vai te destruir, se é que isso já não está ocorrendo. Chega de viver em função do que não gosta, pare de se forçar em circunstâncias que você sabe que te machucam, mas que ainda insiste em permanecer nelas.

É necessário vigiar como disse Jesus, é preciso vigilância sobre nós, sobre o que pensamos e sentimos, caso contrário, somos levados pelo vento. Respeitando sua alma, sendo honesto com os seus sentimentos e procurando reforçar em si mesmo somente o que te promove ao bem, fica bem mais fácil. Agora, ser feliz sustentando um monte de lixo mental, com medinho disso e “daqueles”, com baixa estima e numa constante posição de defesa temendo o mal, fica bem complicado!

E bata o pé quando o negativo vier falar besteira. Seja firme, se banque porque os fracos só levam ferro. Quem não tem posse de si não subsiste na vida e quem se sustenta em tudo, se dando sempre o melhor que pode, chega longe. É assim que funciona. Lembre-se: O melhor sempre, mesmo que esse melhor não seja o que eu gostaria, ainda que eu não consiga dar um sorriso, pelo menos vou me dizer: Isso vai passar, eu estou aqui comigo e eu vou conseguir! E grite se for preciso: EU VOU CONSEGUIR E NADA VAI ME FAZER DESISTIR DE SER FELIZ.

Deus flui através de você e quanto mais forte e positivo for melhor será seu fluir. É preciso se bancar, é preciso querer de verdade mudar tudo, pois enquanto ficar só nas palavrinhas e nas promessinhas, não haverá progresso. Olha, digo tudo isso por experiência própria, faça sua escolha, abra mão de algo, priorize você, em certas ocasiões terá que passar por cima de muita coisa, fingir que não está vendo, ignorar o que te faz mal, algumas vezes, terá que ser frio (é você leu bem, é "frio" mesmo) e quando fizer isso, aí sim, tudo começará a mudar.

Somos os magos do Universo e o executar desse enorme poder que nos pertence e nos compõe está em tudo o que somos, no que pensamos, sentimos, cremos e fazemos. Seja inteiro em si mesmo e creia na sua verdade acima de tudo. Acho que dei meu recado. Agora é com você, transforme-se e seja forte pra sustentar isso. Haja o que houver, decida-se pelo Bem.

Seja Feliz,
Vinícius Francis


3 comentários:

  1. MUUUITO Obrigado mesmo Vinícius. Era o que eu precisava. Não tem como te agradecer. Nada de desculpas, a felicidade é a única coisa que importa. Obrigado milhões de vezes.

    ResponderExcluir
  2. É tão simples e ao mesmo tempo depende só de nossa vontade, de nosso constante exercitar, de um constante agir ao invés só de pensar. Não basta desejar estar no BEM e sim, praticar estar nesse estado. O texto caiu no momento certo pra mim.
    Se eu fizer um balanço das mais recentes conquistas, sem ir muito atrás no tempo comparando com a personagem de um filminho autobiográfico de alguns meses anteriores, em que era vítima de posturas incorretas impostas e vividas sem enxergar o desejo de meu Eu Maior... hummm. Ao listar os acontecimentos positivos e compará-los ao que era contrário ao meu alinhamento, certamente o balanço será surpreendente. Creio ser esse hábito um ótimo exercício para nos libertarmos das possíveis recaídas quando nos desalinhamos...

    ResponderExcluir
  3. Perfeito Vinícius!
    Pelo que li nos comentários anteriores, acho que não só sou eu que estava precisando desse "gás".rsrs
    Realmente essa coisa de parar de colocar o exterior como nosso centro, é um desafio e tanto. Estou me empenhando muito nessa parte, e a sua mensagem me deu um "up".

    Muita paz e luz!

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.