quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Elohins - Sobre Solidão, Solitude e Conexão com a Fonte


Leitor: A solitude é positiva no processo de crescimento individual? Como evitar que se confunda com a solidão?

Elohins: Estejam abertos para sentir a felicidade, pois aqueles que a vivem são portadores de todas as bênçãos desejadas. Aqueles que cultivam seu bem estar independentemente de qualquer situação externa são os que verdadeiramente descobriram o segredo para manifestar qualquer coisa. 

Porque uma vez que vocês conseguem estabelecer uma conexão positiva com sua maior parte, de modo a sentir isso, vibrar em vosso corpo, e empenham-se em manter ativada essa energia, ou melhor, esse estado, então, encontram-se exatamente onde planejavam estar antes da vida física. Estão onde sempre desejaram estar e vibrando aquilo que sempre desejaram vibrar.

Nenhum de vocês almeja estar em um determinado lugar ou fazendo determinada coisa. O que vocês querem verdadeiramente é conectar-se ao estado pleno da felicidade. E anseiam por isso muito mais do que para simplesmente manifestarem bênçãos e sonhos, vocês buscam por isso ardentemente porque esse é o vosso real estado.

É assim que vocês se sentiam no momento em que tomaram a decisão de imergir na consciência física. Estavam convictos do Bem, tão inundados de amor e apreciação pela realidade sólida da Terra que diziam a si mesmos: 

Eu desejo, eu quero ir até lá. Eu almejo expandir quem sou em meio ao rico contraste do orbe azul porque lá é um bom lugar para isso. Eu reconheço, de minha perspectiva não física, que a diversidade abundante como existe neste planeta é benéfica para mim. Por isso, vou até lá, assumir um corpo físico, esquecer momentaneamente de quem sou e de todas essas coisas que aqui consigo ter consciência e me tornar um novo alguém, com novo nome e nova forma. 

E na pele desse novo ser humano que abrigará a essência de quem eu sou, terei uma única missão: Procurar em tudo, aquilo que me conecta novamente comigo mesmo. Procurar sentir através do contraste as coisas que tocam minha alma, as experiências que me fazem sentir exatamente o que sinto neste momento. 

E qual será o propósito disso tudo? Bom, não acredito que deva ter algum propósito. Sinto que deve ser bom e se for bom, então, eu não preciso colocar propósitos nisso. Pois se é bom é o suficiente para mim. Eu vivo pelo que é bom, procuro o meu prazer e a minha satisfação interior. Sei que lá conhecerei novas coisas, aprenderei outras e me lembrarei de muitas verdades e ideias que tenho aqui mesmo. 

No entanto, almejo ir e viver e retornar após uma rica experiência, trazendo comigo a sensação de que eu experimentei enquanto ser físico, a exata conexão com quem eu realmente sou. 

Eu desejo retornar ao não físico abrigando a satisfação de que eu consegui me sentir feliz e me dar uma nova experiência, uma nova oportunidade de vivenciar as maravilhas de quem eu sou em um novo ambiente. Eu cumpri o meu propósito de ser feliz e isso tem que ser o suficiente, pois se eu baseio minha vida em qualquer outra coisa que não seja a minha felicidade, então eu não estou conectado em Deus.

Diriam isso, amigos. Esse era o vosso sentimento antes de nascerem nessas formas densas e belas. E, quando estão procurando vosso alinhamento vibracional, o que chamam de solitude é indispensável. Solidão é ausência de si mesmo, é a ausência da conexão que tanto almejavam viver antes de estarem aí. E solitude é a opção em reservar-se dos demais, procurando com isso encontrar a vossa conexão, aquele ponto de vibração em que estavam na realidade não física.

E vemos vocês procurando por isso durante a vida toda. Percebemos que o que almejam é apenas se reencontrar consigo mesmos através de elementos físicos e experiências. E se unem às pessoas em relacionamentos, pois inconscientemente fazem isso, buscando enxergar vosso Eu através do outro. Vocês tentam pegar o parceiro e fazer da relação com ele um meio de se identificar.

Sonham e trabalham pela realização material porque na presença da benção querem sentir mais de quem são. Vocês estão ávidos o tempo todo em vivenciar a mesma conexão em que estavam antes de descer à Terra.

Considerar os outros ou as coisas como objetos de vossa atenção emocional, é lindo. Entretanto, tratar o objeto como a causa de vossa alegria está errado. Não condiz com a vossa intenção genuína. Quando estavam deste lado da moeda, não tinham nada que agora insistentemente dizem que “precisam”. Vocês estavam somente com o que realmente necessitavam, a vossa conexão interior.

E quando a encontram sobre o solo da Terra, voltam a se sentir felizes e plenos, como se algo se encaixasse, como se fossem de alguma maneira completos e preenchidos. E de fato, foram. Só se sentem preenchidos quando estão em si mesmos e só conseguem fazer isso, quando abandonam as resistências, os apegos, as dependências, o “querer” desenfreado, a ansiedade, a impaciência e a ideia de que precisam dos outros para se sentir amados.

Por isso vos aconselhamos a cultivar a solitude. Separem-se um pouco das pessoas ao redor porque se estão desencontrados de si mesmos terão dificuldade de se conectar novamente, estando envoltos por opiniões e energias que naturalmente tendem a influenciá-los. 

Sim, quando estão fora da conexão são influenciáveis. E quando estão conectados não são, pois toda influência que sentem vem de vosso próprio espírito.

Mas, para isso, precisam se afastar. Não estamos dizendo para vocês se isolarem como Cristo no deserto. Obviamente, se não conseguirem se conectar novamente com um simples “afastamento”, então vos encorajamos: Façam como vosso mestre. Abandonem tudo, casas, profissões, famílias e todas as outras coisas.

Já se perguntaram o porquê do mestre que nomeiam aí de Jesus ter feito desta forma? Porque ele sabia que se não estivesse conectado a si mesmo, a quem ele era em essência interior não poderia desfrutar da verdadeira felicidade e do verdadeiro poder divino. O mesmo que vive em vocês. Ele sempre dizia aos discípulos quando os convocavam a segui-lo: Abandonem tudo e venham comigo.

Ele bem sabia que nada é mais importante do que a conexão com quem são. E vocês precisam buscar por isso intensamente, com sede e grande vontade. Pois nisso está a solução para todos os vossos conflitos internos. Na exata conexão com quem realmente são.

Mergulhados na solidão estarão, enquanto não se conectarem novamente. Sozinho é todo aquele que não anda no caminho do seu espírito. A solidão é parceira do homem que não tem os tesouros de seu próprio eu e não se dá a grandeza de vivê-los.

Procurem por si mesmos, pois em vocês estão todas as respostas e todas as bênçãos que almejam e que realmente merecem. Sentimos que isso é tudo. Haja luz em vós!

Elohins através de Vinícius Francis

2 comentários:

  1. A solitude tem me ensinado um caminho diferente, um caminho só meu! Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião ou pergunta.